Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Opinião: Minha seleção do primeiro turno do Brasileirão

Foi encerrado, no último domingo, o primeiro turno do Campeonato Brasileiro de 2016. Até aqui, os espectadores puderam acompanhar 19 rodadas disputadas, 478 gols marcados e grandes espetáculos nos estádios. Nesta primeira metade, o Brasileirão mostrou ser muito disputado.

Gabriel Lanza
Apaixonado por esportes desde a sua infância, Gabriel Lanza cursa atualmente a Especialização de Mídias Digitais Interativas na Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), em Presidente Prudente - SP. Aos 23 anos, soma passagens por veículos de comunicação como Rádio 98 FM, Web Rádio Facopp, Torcedores.com, Portal Facopp, Coordenadoria Municipal da Juventude e PCI Concursos.

Crédito: Foto: Divulgação/CBF

LEIA MAIS:
OLÍMPIADAS: CONFIRA A AGENDA DO FUTEBOL MASCULINO PARA ESTA QUARTA-FEIRA

O Palmeiras, com 36 pontos, está no topo da tabela do torneio, mas o equilíbrio é evidente. Três pontos separam o líder do quinto colocado e apenas oito separam o nono colocado do primeiro. Além do Verdão, compõem o G4: Atlético Mineiro (35), Corinthians (34) e Flamengo (34).

Porém, se o Brasileiro é um sucesso em 2016, muito se deve aos jogadores que tiveram grandes desempenhos individuais dentro da competição. Em meio a tantos nomes, alguns conseguiram destaque. Já outros eram grandes esperanças para suas torcidas e, até o momento, decepcionaram.

Portanto, se fossemos montar uma seleção com os melhores do primeiro turno, quem seriam os 11 que estariam escalados para defender esse time?

Confira abaixo a escalação:

GOL: Vanderlei (Santos) – Quieto, pé no chão e com pouca mídia. Este é Vanderlei, que assumiu a meta santista após se destacar no Coritiba. Mas, apesar das poucas palavras, é um goleiro extremamente seguro e competente. O guarda metas atuou em todas as 19 partidas do primeiro turno, não foi vazado em sete oportunidades e fez 34 defesas difíceis até o momento. (Reserva: Wilson – Coritiba).

LAD: Fagner (Corinthians) – Foi bem no Brasileiro do ano passado e vem fazendo boas aparições nesta edição da competição. Ataca muito bem e evoluiu no quesito marcação, na qual tinha muita dificuldade. Fagner ajuda a equipe alvinegra com assistências, gols e muita liderança. É uma das válvulas de escape do time de Cristovão Borges jogando pela direita. (Reserva: Wellington Silva – Fluminense).

ZAG: Pedro Geromel (Grêmio) – É o melhor zagueiro em atividade no Brasil. Após jogar muita bola no Brasileirão 2015, está repetindo os bons desempenhos nesta edição. A prova disso é que nas 13 partidas em que atuou, o Grêmio não tomou gol em nove delas. Além de ser um dos pilares da defesa gremista, é referência nas bolas paradas da equipe. Geromel é seguro, tático e muito inteligente. (Reserva: Victor Hugo – Palmeiras).

ZAG: Réver (Flamengo) – Está longe de ser aquele Réver que levantou a taça da Libertadores de 2013, mas fez um bom primeiro turno. A melhora na defesa rubro-negra tem muito a ver com sua chegada. O zagueiro atuou em 11. Em seis delas, o Flamengo não teve suas redes balançadas. Mostrou-se bem nos desarmes e nas bolas pelo alto até aqui.  (Reserva: Maicon – São Paulo).

LAE: Diego Renan (Vitória) – Está muito bem nessa temporada. O baixinho é um dos líderes do time baiano. Além de oferecer muito perigo quando desce ao ataque, Diego Renan é o responsável pelas bolas paradas do Vitória, o que faz com que tenha três gols e quatro assistências até aqui. Quando o goleiro Fernando Miguel se ausenta, é ele quem assume a braçadeira. (Reserva: Zeca – Santos).

VOL: Bruno Henrique (Corinthians) – Vive a melhor fase de sua carreira. É o maior ladrão de bolas da competição. Fica devendo no quesito passes, mas evoluiu nas finalizações. Além de marcar, especificamente neste Brasileirão, está subindo ao ataque de maneira constante. Bruno tem quatro gols até aqui. (Reserva: Rafael Carioca – Atlético Mineiro).

VOL: Willian Arão (Flamengo) – É o cão de guarda do Rubro-Negro. Chegou neste ano e já assumiu a braçadeira de capitão e tornou-se indispensável no esquema da equipe carioca. Seguro na marcação, Arão se movimenta com muita naturalidade em campo e é o segundo jogador com mais roubadas de bola na competição. (Reserva: Tchê Tchê – Palmeiras).

MEIA: Diego Souza (Sport) – Vem jogando muita bola. Nesta temporada, parece o mesmo Diego Souza dos tempos de Palmeiras. É o maestro no meio campo do Sport, e vem orquestrando muito bem o time nordestino. O meia tem nove gols na competição e deu três asssitências. A volta ao Leão, após breve passagem pelo Rio de Janeiro, fez muito bem ao jogador. (Reserva: Gustavo Scarpa – Fluminense).

MEIA: Vitor Bueno (Santos) – Eis uma grata surpresa. Apesar de Lucas Lima ter o status de craque no meio-campo do peixe, é Vitor Bueno quem está comendo a bola neste Brasileirão. O garoto está cada vez mais a vontade com a camisa do peixe. Até aqui, tem oito gols no Brasileirão, duas assistências e a confiança de Dorival Junior. Não sai mais do time. (Reserva: Arrascaeta – Cruzeiro).

ATA: Luan (Grêmio) – Um verdadeiro tormento as defesas adversárias. O camisa 7 é o “motorzinho” do Grêmio. Tem velocidade, habilidade e inteligência. Jogando com liberdade no ataque, é ele quem o time aciona quando o jogo está amarrado, pois, a partir de seu talento, sempre saem coisas boas. Também pode atuar em diversas posições. (Reserva: Robinho – Atlético Mineiro).

ATA: Gabriel Jesus (Palmeiras) – Apesar da pouca idade, é a referência do ataque alviverde. Finaliza, sofre faltas, dribla… Seus números dizem por si só. É o artilheiro da competição com 10 gols feitos em 14 jogos disputados. Mas, além de fazer gols, também sabe servir seus companheiros: quatro assistências até o momento. Fase “iluminada” de Jesus. (Reserva: Fred – Atlético Mineiro).