Torcedores – Notícias Esportivas

Abel Braga foi chamado de “pipoqueiro” por Andrés após recusar convite do Corinthians em 2010

Um dos treinadores mais vitoriosos da história do Internacional, o carioca Abel Braga revelou durante participação do programa “Bola da Vez”, que irá ao ar na noite desta terça-feira (20) na ESPN Brasil, que recebeu convite do até então presidente do Corinthians Andrés Sanchez para treinar o clube após a saída de Adílson Batista, em 2010. Abelão não pôde aceitar e contou que foi chamado de “pipoqueiro” pelo dirigente.

Rafael Alaby
Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)

Crédito: Foto: Reprodução/ESPN

LEIA MAIS:
Fábio Carille, técnico interino do Corinthians, quer seguir a mesma linha de Tite 
Em boa fase no Flamengo, Willian Arão destaca a importância do Corinthians na sua carreira 
Opinião: quais mudanças Fábio Carille deve fazer para melhorar o Corinthians? 

“Eu, antes do Tite, fui procurado pelo Andrés. Estava no hotel Emirates, em Abu Dhabi – o maior hotel do mundo – tomando um café com a minha cunhada que estava lá passando as férias e minha esposa. O Andrés me ligou. Eu disse que não tinha como sair daqui“, disse Abel, atualmente sem clube.

“Toda vez que ele encontra comigo ele fala assim: Pipocou, hein? Não quis pegar o Corinthians. Inclusive em um aniversário na última vez que eu o vi, no aniversário da filha do Carlos Leite (empresário), lá no Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca, ele disse: olha lá o pipoqueiro”, completou.

Abel lamentou o fato de jamais ter treinado o alvinegro do Parque São Jorge.

“Nunca deu certo. Nunca deu o momento, o feeling, o timing. É assim a vida”, lamentou o técnico.

Na época do convite, Abel Braga treinava o Al-Jazira, dos Emirados Árabes, onde conquistou os títulos da Copa do Presidente e da Liga Árabe, No ano seguinte, ele retornou ao Brasil para comandar o Fluminense nos títulos do Campeonato Carioca (2012) e Campeonato Brasileiro (2012).