GUIA NFL 2016: Dallas Cowboys

A partir desta quinta-feira (08/09), começa a nova temporada da NFL. São 32 times separados em duas divisões na briga pelo tão desejado título do Superbowl. O Torcedores.com preparou um guia completo falando um pouco mais dos 32 times. Você saberá o que mudou em relação ao ano passado, quem saiu, quem chegou e as expectativas de cada time para a temporada. Neste texto,falaremos um pouco sobre o Dallas Cowboys. Confira.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

LEIA MAIS:
GUIA NFL 2016 – ANÁLISE DOS 32 TIMES

 

DALLAS COWBOYS

fundação: 1960

títulos de Superbowl: 5 (1971, 1977, 1992, 1993, 1995)

rivais de divisão: New York Giants, Philadelphia Eagles e Washington Redskins

 

Como foi em 2015?

O ano do Dallas Cowboys em 2015 acabou logo no segundo jogo da temporada, quando o quarterback Tony Romo quebrou a clavícula e ficou fora por boa parte da temporada. Sem um reserva capaz de ganhar um jogo sequer e com outros jogadores importantes do time, como o wide receiver Dez Bryant (foto), também lesionados, o time acabou com 4 vitórias e 12 derrotas e, mesmo com o melhor time no papel da divisão, não chegou a lugar nenhum.

dez bryant

O que funcionou/ o que não funcionou em 2015?

Mesmo sem Demarco Murray, principal jogador do time em 2014, o jogo corrido dos Cowboys foi bem. Darren McFadden teve mais de 1000 jardas corridas no ano, surpreendendo a todos. A linha ofensiva, uma das melhores da NFL, foi outra que esteve bem, apesar de não ter tido o mesmo impacto de 2014, muito em função da ausência de seu quarterback principal  O ataque de uma maneira geral foi péssimo em 2015 sem Tony Romo (foto). Com muitos drops e jogadas ineficazes, não conseguiam deixar a defesa descansar e os adversários se aproveitaram disso. A linha defensiva teve poucos sacks e a secundária poucas interceptações e não foi bem contra o jogo corrido, ainda que seja uma das menos culpadas pela péssima campanha do time.

tony romo

Quem saiu e quem chegou para 2016?

Matt Cassell, contratado para substituir Tony Romo, não rendeu absolutamente nada e não teve o contrato renovado. O jogador de linha defensiva Greg Hardy, autor de muitas polêmicas em 2015, foi outro que não renovou.  Jeremy Mincey, defensive end, foi outro que saiu.

O Dallas Cowboys não investiu muito no período de free agency. Trouxe o defensive tackle Cedric Thorton, dos Eagles, e o defensive end Benson Mayoya, dos Raiders. Para o ataque, o time também trouxe o running back Alfred Morris, dos Redskins. Após a lesão de Tony Romo, o Dallas buscou um quarterback veterano para compor o elenco e trouxe Mark Sanchez, dispensado pelo Denver Broncos.

 

O que esperar em 2016?

Após investir em Ezekiel Elliott, um dos melhores running backs disponíveis no draft 2016, o Dallas Cowboys veio com a intenção de reeditar a fórmula de sucesso que teve em 2014: jogo terrestre eficaz impulsionado pela excelente linha ofensiva, Tony Romo lançando bolas em situações de descidas curtas e um ataque muito difícil de ser lido pelas defesas adversárias. Com uma linha ofensiva excelente, um bom corpo de recebedores, um running back promissor um dos tight ends mais confiáveis da NFL e com bons reservas, o Dallas Cowboys  seria novamente um dos favoritos ao título da divisão. Só que, no final de agosto, Tony Romo sofreu outra lesão nas costas que o tirará por uma parte da temporada e isso prejudicará muito a equipe. Neste ano, entretanto, os Cowboys trouxeram o quarterback Dak Prescott (foto) na segunda rodada do draft 2016 e o calouro teve boas atuações e bons números na pré-temporada.

dak prescott

A defesa segue sendo o grande problema. Foi pouco reforçada para esta temporada e ainda conta com dois jogadores da linha defensiva suspensos por alguns jogos pelo uso de substancias ilegais. Os linebackers são liderados por Sean Lee, que costuma sempre se lesionar. A secundária segue sendo a mesma que raramente força turnovers.

Mesmo sem o quarterback titular, o Dallas ainda parece ter chance, já que a divisão leste da NFC é uma das mais fracas da NFL. Tudo dependerá de o quanto o calouro Dak Prescott conseguirá fazer até Tony Romo retornar. O New York Giants parece ser o time mais forte da divisão.