GUIA NFL 2016: Tennessee Titans

A partir desta quinta-feira (08/09), começa a nova temporada da NFL. São 32 times separados em duas divisões na briga pelo tão desejado título do Superbowl. O Torcedores.com preparou um guia completo falando um pouco mais dos 32 times. Você saberá o que mudou em relação ao ano passado, quem saiu, quem chegou e as expectativas de cada time para a temporada. Neste texto, falaremos um pouco sobre o Tennessee Titans. Confira.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

LEIA MAIS:
GUIA NFL 2016 – ANÁLISE DOS 32 TIMES

 

TENNESSEE TITANS

Fundação: 1958

Títulos de Superbowl: 11 (1968)

Rivais de divisão: Buffalo Bills, Miami Dolphins e New Englad Patriots

 

Como foi em 2015?

Foi, discutivelmente, o pior time da NFL em 2015, sem nenhum grande ponto a ser destacado. Foram apenas 3 vitórias e 13 derrotas, com um ataque e uma defesa que não produziram nada e que não viram nada funcionar.

 

O que funcionou/ o que não funcionou no time em 2015?

Praticamente nada funcionou para o Tennessee Titans em 2015. A linha ofensiva foi a pior da NFL e cedeu incríveis 54 sacks e duas lesões ao promissor quarterback Marcus Mariota. Além disso, o time não teve jogo corrido algum fazendo com que o ataque aéreo dos Titans ficasse extremamente previsível. Na defesa, houve grande dificuldade em parar a corrida e o jogo aéreo. De positivo, só algumas performances individuais, como a do tight end Delaine Walker (foto) e do reserva Antony Fasano e o fato de sbaer que Marcus Mariota pode levar o time a algum lugar se receber um mínimo de ajuda.

delaine walkers

 

Quem saiu e quem chegou para 2016?

Após uma temporada catastrófica na Philadelphia, DeMarco Murray foi para Tennessee para tentar estabelecer um jogo corrido que inexistiu nos Titans em 2015 e reencontrar as boas performances que teve com o Dallas Cowboys em 2014. O wide receirver Rishard Matthews chega após boa temporada em Miami e tenta se tornar um alvo eficaz para Marcus Mariota. Para a fraca defesa, o time trouxe na free agency o safety Rashad Johnson e o cornerback Brian McCain. Uma perda significante foi a do safety Michael Griffin, um dos líderes do time que já estava em Tennessee há mais de 10 anos.

 

O que esperar em 2016?

O time foi buscar um jogador de linha ofensiva no draft em 2016. Jake Conklin é um jovem promissor que deve ajudar a melhorar o desempenho da fraquíssima linha ofensiva. Com a adição dos running backs Demarco Murray e Derrick Henry, vencedor do prêmio Heisman 2015 e escolhido na segunda escolha do draft 2016,  o time parece que voltará a ter jogo corrido e desafogará ao menos um pouco o jogo de Marcus Mariota (foto). Porém, nada adiantará se a proteção não melhorar. A defesa não recebeu nenhum grande nome de peso e não deve fazer muito mais do que fez em 2015. Jurrel Casey, o líder defensivo, precisa fazer mais em 2016. Mesmo numa divisão mais fraca onde o título seria possível, o Titans se apresenta como o time mais fraco dentre os quatro e não deve ir muito longe. Uma campanha com 8 vitórias já seria um bom objetivo para Tennessee.

marcus mariota