Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Relembre 10 grandes duplas da história do futebol brasileiro

Eles são como unha e carne. Você não consegue se lembrar de um sem pensar também no outro. Percorrendo diferentes épocas e gerações, o futebol brasileiro sempre brindou o seu público com grandes jogadores – e, também, com muitas parcerias de sucesso. Neste post, confira 10 duplas que marcaram época no futebol brasileiro e que deixaram saudades em suas torcidas.

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Instagram Oficial do Bebeto

LEIA MAIS:

Maicon revela o que disse ao torcedor na saída de campo contra o Atlético-MG

Tradicional locutor esportivo muda de emissora no Rio Grande do Sul

BEBETO E ROMÁRIO: Embalado pela dupla de ataque, o Brasil surpreendeu e levou o título da Copa do Mundo de 1994. Muitos só lembram do baixinho fazendo os gols decisivos, mas é melhor nem pensar do que seria aquela campanha se ele não tivesse sua inseparável dupla.

ASSIS E WASHINGTON: Que saudades do Casal 20, não é mesmo, tricolores? Carismática e talentosa, com 9 títulos nas costas, a dupla formada por Assis e Washington marcou época no Fluminense.

PELÉ E COUTINHO: Para os demais adversários, era covardia ter que enfrentar o Santos nas décadas de 50 e 60. Ainda que conseguissem, a duras penas, anular o negro forte e topetudo, havia um outro atacante franzino para brilhar.

PELÉ E GARRINCHA: De novo o Rei, perguntarão os leitores. Sim, mas ele pode. Ainda mais quando ao lado do eterno Mané das pernas tortas. Pela seleção jamais perderam juntos (35 vitórias e 5 empates), com papel fundamental no bicampeonato mundial em 1958 e 1962.

TOSTÃO E DIRCEU LOPES: Habilidosos, técnicos e inteligentes, capazes de jogar no ataque ou mais recuados. Juntos, colecionaram títulos importantes pelo Cruzeiro como cinco estaduais (de 1965 a 1969) e um Brasileirão/Taça Brasil em 1966, sobre o Santos de Pelé.

PAULO NUNES E JARDEL: Pelo Grêmio, a dupla deixou dois Campeonatos Gaúchos (1995 e 1996), uma Recopa Sul-Americana (1996) e uma Taça Libertadores da América (1996). Representavam um modelo de dupla de ataque que persiste até hoje: um jogador de velocidade e móvel pelos lados, com outro alto de referência dentro da área.

RONALDO FENÔMENO E RONALDINHO GAÚCHO: Talvez a última grande dupla vista defendendo a Seleção Brasileira. Em 2002, foram juntos campeões mundiais na Ásia. Mesmo com a decepção na Copa de 2006, eram dois representantes do típico futebol brasileiro.

ZICO E ADÍLIO: Um camisa 10 clássico, que sabia tratar a bola e servir os companheiros, ao lado de um velocista também de muita técnica. Ô mengão dos anos 80…

NEYMAR E GANSO: Para que não nos acusem de sermos apenas saudosistas, já que nos tempos atuais a última grande dupla do futebol brasileiro desfilou no Santos entre 2010 e 2012. A maestria de Ganso e a genialidade de Neymar fizeram história na Vila Belmiro.

DIEGO E ROBINHO: E quase 10 anos antes deles, uma outra dupla fazia bonito na Vila Belmiro. Com menos de 20 anos de idade, Diego e Robinho jogavam como gente grande e devolviam um título brasileiro ao Santos, em 2002.