7 brasileiros que estão no futebol dos Estados Unidos e poderiam ser úteis no seu time

O futebol dos Estados Unidos ainda é conhecido por ser o destino de medalhões do futebol internacional. A fama começou nos anos 70, quando o New York Cosmos reuniu em sua equipe diversas estrelas mundiais como Franz Beckenbauer, campeão da Copa do Mundo de 1974 pela Alemanha Ocidental, Carlos Alberto Torres, campeão do mundo com a Seleção Brasileira em 1970 e ninguém menos que Pelé, o expoente da popularidade do esporte em solo norte-americano.

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/New York Cosmos

LEIA MAIS:
7 BRASILEIROS QUE ESTÃO NO FUTEBOL TURCO E PODERIAM SER ÚTEIS NO SEU TIME
7 BRASILEIROS QUE ESTÃO NO FUTEBOL JAPONÊS E PODERIAM SER ÚTEIS NO SEU TIME

Chegando a tempos atuais, os Estados Unidos continuam exportando medalhões para popularizar ainda mais o futebol no País. Estrelas como David Beckham e Thierry Henry atuaram por anos na Major League Soccer, liga mais importante do futebol local. Outras estrelas ainda estão por lá, como o italiano Andrea Pirlo, o marfinense Didier Drogba, o espanhol David Villa, os ingleses Frank Lampard e Steve Gerrard e o brasileiro Kaká.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Alguns medalhões brasileiros também estão nos Estados Unidos, seja na MLS ou na NASL, segunda liga em importância no País. Estes atletas poderiam ser úteis em alguns clubes no Brasil.

1 – Bruno – Fort Lauderdale Strikers
bruno mascote strikers
Formado na famosa academia de goleiros do Palmeiras, Bruno surgiu nas categorias de base como potencial substituto do grande ídolo Marcos. Bruno revezou entre titularidade e reserva durante anos na equipe alviverde. Foram nove temporadas no Verdão e conquistas como o Campeonato Paulista de 2008, como reserva, e da Copa do Brasil de 2012, como titular da equipe.
Aos 32 anos, mais experiente e maduro, Bruno poderia ser útil para equipes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro.

2 – Gabriel – Fort Lauderdale Strikers

gabriel strikers
Um dos laterais mais talentosos que jogaram no Brasil na última década, Gabriel foi, aos 35 anos, tentar a sorte no Fort Lauderdale Strikers. Sofrendo com problemas físicos desde 2013, quando deixou o Internacional, o ex-lateral de Grêmio, Fluminense e São Paulo assinou até o fim do ano passado com a equipe americana. O lateral acabou renovando por mais um ano com o Strikers, mas poderia ser útil em diversas equipes do Campeonato Brasileiro, seja como lateral ou compondo a linha de meio-campistas.

3 – Kleberson – Fort Lauderdale Strikers

kleberson strikers
Campeão do mundo aos 22 anos quando ainda era jogador do Atlético-PR. Uma das revelações brasileiras que prometia estourar na Europa no início dos anos 2000. Um dos destaques do Mundial da Coréia e do Japão. Mas as coisas não deram tão certo assim para Kleberson. Apresentado como astro no Manchester United no ano de 2003 ao lado de um garoto português desconhecido chamado Cristiano Ronaldo, Kléberson não se firmou na Inglaterra e acabou se transferindo para o futebol turco. Após temporadas medianas com a camisa do Besiktas, o meia retornou ao Brasil para jogar no Flamengo, onde reencontrou o bom futebol e foi para mais uma Copa do Mundo, em 2010, na África do Sul.
Kléberson deixou o País em 2013 para se aventurar no futebol norte-americano e após passagens por Philadelphia Unior e Indy Eleven, se juntou a legião de brasileiros do Fort Lauderdale Strikers.
Porém, o que nunca faltou ao meio-campo foi talento. Aos 37 anos, Kléberson é experiente o bastante para conduzir algumas equipes no Brasil.

4 – Ibson – Minnesota United

Oct 17, 2015; Indianapolis, IN USA; NASL: Minnesota United FC at Indy Eleven - match played at IUPUI's Michael A. Carroll Stadium. Mandatory Credit: Matt Schlotzhauer

Um sucesso com a camisa do Flamengo no início da carreira e um futuro no futebol internacional. Assim que Ibson foi pintado na década passada com a camisa rubro-negra. Após um ótimo início de carreira, o volante foi vendido ao Porto-POR em 2005, retornando em 2007 ao Flamengo para mais uma passagem de bom futebol.
Mais uma venda para a Europa, desta vez para o Spartak-RUS, retornando em 2011 para o Santos. A partir daí, Ibson colecionou passagens sem sucesso pelos clubes que passou. Em Corinthians, Sport e mais uma vez o Flamengo, o carioca não recuperou o bom futebol e foi tentar a sorte do Minnesota United, dos Estados Unidos.
Mesmo com o declínio na carreira, Ibson tem bons números e vem apresentando bom futebol na NASL.

5 – Adrianinho – Fort Lauderdale Strikers

adrianinho strikers
Mais um “trintão” da legião de brasileiros do Strikers, Adrianinho, ídolo da Ponte Preta, é o camisa 10 da equipe norte-americana. Aos 36 anos e com experiência de sobra, Adrianinho sempre foi conhecido pela eficiência nas bolas paradas e pela forma cadenciada de controlar a partida.

6 – Julio Baptista – Orlando City

julio
Participação em duas Copas do Mundo no currículo, passagens por Real Madrid, Roma, Arsenal e Sevilla, onde ganhou a alcunha de “La Besta” pela explosão e força física características, Julio Baptista é um dos medalhões de mais sucesso da MLS, onde atua ao lado de Kaká no Orlando City. Bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro, mesmo que não tenha participado de muitas partidas nas campanhas por problemas físicos, Baptista, aos 35 anos e em forma, é um prato cheio para o futebol brasileiro. O atleta, que já atuou como volante, meia e atacante, ainda pode cumprir diversas funções e poderia ser importante em diversos clubes no Brasil.

7 – Ilsinho – Philadelphia Union

Ilsinho,-Union
Pivô de uma das maiores brigas entre rivais nos últimos tempos quando saiu do Palmeiras para jogar pelo São Paulo, Ilsinho assinou com o Philadelphia Union, da MLS, para atuar em 2016. Conhecido pela extrema habilidade e ofensividade, o lateral-direito, que com o passar dos anos se transformou em um meia-direita, pode exercer diversas funções dentro das quatro linhas. O que não contribui com Ilsinho são os problemas físicos. Muitos atribuem sua falta de sucesso na Europa ao número excessivo de lesões.