Jovem supera drama familiar e se inspira em goleiro do Palmeiras para brilhar

Um jovem goleiro no interior de São Paulo chama a atenção pelas defesas, pelo potencial e também pela história de vida. Este é Wesley Richard da Silva Santos, goleiro do Comercial FC de Ribeirão Preto.

Bruno Barbato
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Arquivo Pessoal - Wesley

Aos 18 anos de idade, recém-completados no dia 30 de julho de 2016, a promessa da base do Leão do Norte se destaca pela elasticidade e o grande potencial como goleiro, mas também pelo caráter, e pela bonita história de superação.

Wesley é filho de Ronaldo e Célia Regina, e ambos perderam a visão por motivos diferentes ao longo da vida.

“Minha mãe perdeu a visão quando tinha 20 anos. Ela foi baleada no rosto pelo ex-marido com arma de fogo, o tiro passou pelo nervo óptico e ela passou a não enxergar mais nada. Ela sofreu bastante, ficou em coma por 20 dias e sempre me conta que não pedia a Deus para tirá-la dali, e sim que cuidasse dos filhos para que ficassem bem. Já o meu pai perdeu a visão por causa de um deslocamento de retina quando tinha 16 anos, no auge da adolescência. Desde então nenhum deles enxerga nada. Aí, eles se conheceram na Associação dos Cegos e me tiveram quando os dois tinham 30 anos”, conta, emocionado.

Wesley defesa

 

Mas nada disso impede o casal de realizar suas atividades diárias, nas manhãs quentes de Ribeirão Preto, vendendo rifas nas feiras. Diariamente, Wesley acorda cedo, antes das 7h, e mesmo assim dificilmente consegue achar os pais em casa neste horário. Ele que ajudou dona Célia e seu Ronaldo na feira até não poder mais por ter de treinar.

Wesley trabalhou, ajudou os pais, treina futebol, e acabou de assinar seu primeiro contrato profissional com o Comercial, válido até 30/07/2018. Além de tudo ainda estuda pra concluir o ensino médio nesse ano, afinal, ainda acabou de completar seus 18 anos.

Em um mundo do futebol cada vez mais cheio de histórias obscuras, Wesley se destaca pelo caráter, pela humildade e pelo amor e carinho demonstrado com aqueles que ajudaram a moldar a pessoa que ele se tornou.

Rafael Alves - Comercial FC

Rafael Alves – Comercial FC

 

Gratidão

“Mesmo depois de acordar cedo para ir trabalhar e passar um dia difícil, os meus pais ainda me levavam de ônibus para treinar. A dedicação que eles tiveram comigo eu vou guardar para a vida toda. Agora é concluir os estudos, sonho em ajudar a minha família e dar o conforto que eles merecem”, destacou, com emoção.

Inspiração

Apesar de ser fã de alguns bons goleiros do futebol mundial, Wesley não escondeu e admite com um grande sorriso no rosto quem são seus heróis e suas inspirações na vida.

“Quando cheguei ao Comercial foi um sonho. Logo que subi para o elenco profissional pensei que teria que aproveitar isso, foi uma porta que se abriu, e isso agradeço a eles, que mesmo com dificuldades, sempre acreditaram em mim. Por tudo que fizeram por mim, os meus pais são a minha maior inspiração. Com todas as dificuldades, eles nunca me deixaram faltar nada. São meus heróis”, enalteceu.

Talismã

A mãe se acostumou a acompanhar as partidas do filho no sub-17 do ano passado, quando Wesley defendeu as cores do Olé Brasil. A curiosidade é que a namorada do jogador, Vitória, tem o hábito de narrar as partidas para a dona Célia.

02

 

“Quando vou jogar ela faz questão de ir ao estádio, o mais engraçado é que eu não tomo gol, e a minha namorada vai passando todos os detalhes do jogo para ela. Costuma sair rouca dos jogos”, contou Wesley. “Gosto muito de estar junto com ele, dou uma força pra ele, não consigo enxergar, mas estou o tempo todo incentivando ele”, comentou a mãe do jogador.

Sonho

Ao contrário de muitos jogadores do futebol moderno, Wesley tem um sonho sem muita fama, mas sim de felicidade com os pais, que segundo eles, merecem um casório na igreja, algo que ainda não aconteceu.

“Não sonho com fama, nem com dinheiro. Quero apenas dar uma vida confortável para eles, e no futuro realizar o grande sonho deles, que é o meu também. Quero poder ajudar os meus pais a se casarem na igreja. Este é o principal sonho da minha vida, pra eles, que tanto fizeram por mim”, declarou emocionado.

Propósito de Deus

Wesley falou sobre a união dos pais, que se conheceram na Acerp (Associação dos Cegos de Ribeirão Preto) e dois anos depois nasceu o goleiro. Segundo ele, existe um propósito pra ele estar nesse mundo.

Wesley e os pais, Ronaldo e Célia

Wesley e os pais, Ronaldo e Célia

 

“Acredito que tenha sido um propósito, Deus me enviou para ajudar eles. Agora vou fazer o melhor pelo Comercial para contribuir com os meus pais”, declarou Wesley.

Presente do goleiro Aranha

A repercussão da história chegou até o goleiro que defendeu Palmeiras e Santos, e hoje está na Ponte Preta, Aranha. Como forma de incentivar Wesley, o goleiro da Ponte presenteou a jovem promessa com um par de chuteira e outro de luvas. Quem apresentou os dois foi o preparador de goleiros do Comercial, Carlos Eduardo Moreira, o Kadu.

Wesley ao lado da mãe e de Kadu após receber um presente de Aranha

Wesley ao lado da mãe e de Kadu após receber um presente de Aranha

 

“Felicidade é o que eu senti com o presente. Mesmo com tudo que já conquistou ele não perdeu a essência, continua com humildade e com uma nobre vontade de ajudar as pessoas. Fiquei muito feliz mesmo”, disse.

Monitoramento do Palmeiras e foto com Fernando Prass

Há dois meses o jogador sofreu um monitoramento do Palmeiras, e acabou passando por 8 dias de treinos em Guarulhos, junto com o elenco sub-20 do líder do Brasileirão. Na ocasião pode conhecer um dos melhores goleiros do Brasil atualmente (dito pelo próprio Wesley), Fernando Prass.

“Fiquei nervoso com o encontro. Mas é uma pessoa merecedora de tudo que vem acontecendo na vida dela. Conhecê-lo me motivou ainda mais pra continuar com meus sonhos. Espero trilhar um caminho semelhante ao de Prass. Aqueles 8 dias foram muito importantes para o meu aprendizado.

Lição de vida e expectativa para o futuro

“Ser jogador de futebol é saber que tem de passar por diversas barreiras, diversos momento de dificuldade. Mas toda vez que acontece alguma coisa assim comigo, passo a lembrar o quanto é mais difícil para os meus pais, de sem enxergarem irem trabalhar, fazerem as tarefas de casa e tudo mais. A dificuldade deles nunca vai passar, e eles estão sempre se superando. É um grande exemplo pra mim”.

Ronaldo e Célia, pais de Wesley - Arquivo Pessoal

Ronaldo e Célia, pais de Wesley – Arquivo Pessoal

 

“Nas minhas dificuldades eu posso melhorar, treinar forte e conseguir. Então eu busco inspiração neles, na facilidade com que eles constroem a superação. É o que me move. É onde me apoio pra ver que eu posso realizar os meus sonhos, posso ser um jogador, e posso melhorar a vida para eles”, finalizou.

Próximos desafios

Com mais dois anos de contrato com o Comercial, o goleiro é reserva na atual Copa Paulista, e deve ser aproveitado na Copa São Paulo de Futebol Junior 2017, ele que ainda tem mais 2 anos na categoria sub-20.