Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Morumbi 56 anos: relembre a inauguração do estádio do Tricolor Paulista

Foi no dia 02 de outubro de 1960, que um dos projetos mais ambiciosos daquela época, finalmente era inaugurado: o São Paulo recebia para uma partida amistosa o Sporting de Lisboa na sua novíssima casa, o estádio Cícero Pompeu de Toledo, hoje conhecido por todos como Morumbi. E nesta homenagem aos 56 anos deste gigante de concreto, vamos relembrar a partida de inauguração do templo Tricolor:

Rodrigo Nascimento
Colaborador do Torcedores.com, amante dos esportes americanos e do automobilismo.

Crédito: Reprodução/YouTube

LEIA MAIS:
OPINIÃO: NO FIM, FICOU UM CHEIRINHO DE QUE O SÃO PAULO PODERIA TER VENCIDO

Desde sua fundação, o sonho do São Paulo Futebol Clube era ter a sua casa, seu próprio estádio. E a possibilidade do tão estimado sonho se tornar realidade surgiu no inicio da década de 50, com a aquisição do terreno onde hoje está localizado um dos maiores estádios do Brasil: o Cícero Pompeu de Toledo, ou como é popularmente conhecido, o estádio do Morumbi.

A inauguração do estádio são paulino ocorreu no dia 02 de outubro de 1960, com a partida amistosa entre São Paulo e Sporting de Lisboa. O Tricolor Paulista estreou sua nova casa com vitória, para um público de 64 mil torcedores. O único gol da partida, que foi o primeiro da história do estádio, foi marcado por Peixinho, aos 12 minutos da primeira etapa. Vitória são paulina por 1 a 0.

Apesar de ter sido inaugurado, o estádio do Morumbi ainda não estava completamente terminado. Ainda havia obras sendo realizadas na casa são paulina, que só foi totalmente entregue da forma como conhecemos nos dias de hoje, 10 anos depois, no dia 25 de janeiro de 1970, em outro amistoso contra uma equipe portuguesa, desta vez, o Porto. O Morumbi, quando foi inaugurado, era o maior estádio particular do mundo.

Confira a escalação do Tricolor na sua primeira partida no estádio Cícero Pompeu de Toledo:

Poy; Ademar, Gildésio, Riberto, Fernando Sátyro, Victor, Peixinho, Jonas (Paulo Lumumba, depois Cláudio Garcia), Gino Orlando, Gonçalo e Canhoteiro (Roberto Frojuello). Técnico: Flávio Costa.