Opinião: Entre os Corinthianos presos no Rio, existem inocentes

No caso do Maracanã, no último domingo, 31 Corinthianos continuam presos, e tiveram a prisão preventiva, decretada nesta terça-feira, e eu particularmente, conheço ao menos um, inocente, que esta no Rio de Janeiro, sendo julgado como bandido, sem sequer ter participado da confusão relatada pela policia militar.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Foto: Reprodução

Eu falo de André Luis Tavares da Silva, o qual conheço, e principalmente admiro seu caráter e sua índole. Vamos aos fatos, André saiu de sua casa no estado de São Paulo, no Domingo(23) de manha, e com alguns amigos foi para o Rio de Janeiro, assistir a partida entre Flamengo e Corinthians, no Maracanã, onde encontrou outros amigos, e foram de transporte público até o estádio.

No inicio da partida, ocorreu uma confusão envolvendo torcedores e a policia militar na arquibancada, porem, André, sequer havia entrado ao estádio neste momento, o mesmo, foi fotografado por amigos, as 16h29, ainda na rampa de acesso ao estádio, e a briga ocorreu por volta das 16h20.

Após o término da partida, os policiais mantiveram os torcedores na arquibancada para reconhecimento dos envolvidos na confusão, e lá estava André e seus amigos, que passaram pela situação desconfortável que ocorreu neste momento. Ao fim do reconhecimento, meu amigo pessoal, André, foi levado preso pela polícia militar, com a alegação de ter participado na briga, até então, imagina-se que foram levados para averiguação.

Na manhã seguinte(24), alguns foram liberados, e dentre eles não estava André, que foi mantido preso aguardando audiência para esclarecer os fatos, essa que foi adiada, e André, pai de família, sem antecedentes criminais, um cara do bem, passou a noite em Bangu.

Nesta terça-feira(25), acompanhado de seu advogado, André participou da audiência, e mesmo concedendo provas de que não participou da confusão, o mesmo foi condenado a prisão preventiva. Em uma análise, enxerga-se que o julgamento, parece ter sido feito como um todo, não foi analisado caso a caso, André, foi o único que teve um advogado próprio para defesa, que apresentou provas, argumentou de maneira excelente, e mesmo assim, o que vimos foi uma decisão de decreto de prisão preventiva para todos, e André, “foi nesse bolo”.

Amigos que estavam com André, são testemunhas de que o mesmo não participou, e que se quer havia entrado no estádio no momento da briga, além dos presentes, diversas pessoas que conhecem o André, como eu, podem afirmar sem dúvidas, que ele, nunca participaria de uma confusão, ele não é de organizada, foi ao Rio por ser um jogo “especial”, pelo futebol.

Por fim, é inadmissível, que seja julgado os presos como um todo, sem análises individuais, sem entender caso a caso, podem ter mais inocentes entre os que lá estão, mas André, eu conheço, é um grande homem, jamais deveria passar por uma injustiça dessa, tendo seu rosto circulando por diversos meios de comunicação, sendo citado como baderneiro que arruma confusão, e merece ser preso.

Por meio deste, peço justiça no Brasil e liberdade ao meu amigo André, que em nenhum momento participou de briga, e não se enquadra em nenhum dos crimes em que esta sendo citado.