Roberto de Andrade revela detalhes da conversa que selou saída de Tite do Corinthians

Roberto de Andrade não esconde de ninguém que a saída de Tite do Corinthians foi um duro golpe a ser digerido. Em entrevista ao programa Aqui com Benja, do canal Fox Sports, o presidente alvinegro revelou que ficou sem chão ao saber da saída do treinador.

Péterson Neves
Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale. Contato: petersongneves@gmail.com

Crédito: Crédito da Foto: Reprodução/Fox Sports

LEIA MAIS
CORINTIANOS LEMBRAM DE GOL IMPEDIDO DO FLU NA ARENA E “ZOAM” NA WEB: “ACEITA QUE DÓI MENOS”
RICARDO GOMES SE IRRITA COM PERGUNTA SOBRE RISCO DE DEMISSÃO
BRUXARIA? RONALDINHO DÁ INCRÍVEL PASSE COM AS COSTAS EM JOGO BENEFICIENTE

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

“Achava que não iria. Eu tinha convicção que ele não iria. Uns meses atrás ele já tinha sido convidado e negado. Na época que ele falou não, o Dunga estava trabalhando. Foi em 2015. Eu tinha convicação que não iria”, declarou Roberto de Andrade.

A explicação usada por Tite na recusa é de que o Timão estava embalado e tinha um projeto a ser concluído. “Não era o momento. Foi o que ele explicou. Ele adora o Corinthians. Adora trabalhar conosco”, disse.

Porém, o novo convite mexeu com Tite, segundo o mandatário. O treinador ficou com medo de não ter a oportunidade de ouvir outro convite.

“Quando veio esse convite agora, ele conversou comigo e ponderou as razões pessoais dele. Ele falou: “não sei responder se esse convite virá novamente e tenho uma idade que se esse convite demorar cinco ou seis anos, não quero mais a seleção. É um objetivo da minha vida”, contou Andrade, sobre a conversa de desligamento de Tite do clube.

“Não tem como não ficar chateado. Não é uma chateação com a pessoa dele, mas com a situação. Jamais. Ele está indo para o melhor. Dirigir seleção brasileira é o auge que todo treinador quer. É o maior estágio. Você fica chateado com toda a situação, perde o chão e uma estrutura. Foi ruim, não foi bom não”, finalizou.

Clique aqui e assista a entrevista.