VÍDEO: Luxemburgo discute com Cleber Machado e provoca climão no “Bem, Amigos”

A participação de Vanderlei Luxemburgo no programa “Bem, Amigos” da última segunda-feira, comandado por Galvão Bueno, causou uma repercussão gigantesca nas redes sociais (veja no pé da matéria). Além de revelar detalhes de sua passagem mal-sucedida pelo futebol chinês, em que chegou a cravar que há resultados arranjados na liga local, o treinador também ergueu o tom de voz para discutir com o narrador Cleber Machado, só para citar um dos jornalistas presentes na mesa redonda.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Reprodução/TV Globo

LEIA TAMBÉM:
Luxemburgo diz que foi boicotado na China e cita esquema de jogos “arranjados”

Tudo começou quando o comentarista Lédio Carmona indagou Luxa sobre o fato de os treinadores argentinos terem mais sucesso que os brasileiros na Europa. Luxemburgo, que treinou o Real Madrid na época de Zidane, Ronaldo e os “galáticos”, discordou da discrepância entre os técnicos de Brasil e Argentina no Velho Mundo.

Depois, quando parecia sair do cerne da questão ao divagar sobre experiências no Real, Luxa acabou interrompido por Cleber com mais uma pergunta. “E aqui na América do Sul? Por que acha que os argentinos têm maior preferência? Só por causa do idioma?”, perguntou o narrador. “Com certeza!”, cravou Luxa.

Daí Galvão fez uma crítica pesada aos treinadores brasileiros quanto ao conhecimento de várias línguas.

“O idioma é fundamental. Se você pegar o (José) Mourinho, ele fala italiano, inglês e espanhol perfeito. O (Carlo) Ancelotti fala italiano, inglês e me disse pessoalmente que estava com dificuldade de dirigir o PSG porque ainda não estava dominando o francês. O (Pep) Guardiola surpreendeu todo mundo quando passou um ano sabático e chegou falando alemão na apresentação do Bayern de Munique. Nós não temos um técnico brasileiro, nenhum, que fala fluentemente inglês, francês, espanhol e italiano. Acho que é falha dos nossos técnicos que não se preparam para isso”, falou Galvão.

Contrariado, Luxemburgo retrucou: “No Brasil, quem fala dois idiomas?” Daí o climão se instalou de vez. Cleber, não concordando com o ponto de Luxa, soltou: “Daí não dá, Vanderlei”.

Olha só a sequência de falas, só para você reparar na situação:

Luxemburgo – No Brasil, quem fala dois idiomas?
Cleber Machado – Ah, vai estudar, Vanderlei.
Luxemburgo – Você fala quantos idiomas? (virando para Cleber e apontando o braço. Arnaldo Cesar Coelho, entre os dois, até se esquiva do bate-boca)
Cleber Machado – Eu não sou técnico, Vanderlei.
Luxemburgo – Galvão, você fala quantos idiomas?
Lédio Carmona – O Parreira falava, gente.
Luxemburgo – Você fala quantos idiomas? (o técnico se volta novamente para Cleber)
Cleber Machado – Eu não sou técnico.
Luxemburgo – Mas você trabalha com comunicação.
Cleber Machado – E por que… Tá bom, Vanderlei, você está certo (narrador tenta encerrar o assunto, sem sucesso)
Cleber Machado – Guardiola foi aprender alemão, porque ele é espanhol… foi aprendeu alemão porque ele quis aprender alemão.

A discussão era tanta, com tanta gente falando ao mesmo tempo, que nem mesmo Galvão conseguia tomar conta do programa. E olha que, em seguida, Cleber soltou um “não precisa gritar, Vanderlei”.

Para completar, Luxa também não poupou o comentarista Caio Ribeiro, que opinou: “acho que vocês têm condições financeiras de pagar um professor particular e aprender um novo idioma. Aí você está se recolocando no mercado, agregando ao seu conhecimento técnico uma facilidade de comunicação que talvez esse seja um problema dos nossos treinadores, porque o futebol mudou não só na dinâmica, na questão tática, é na forma como você conversa no vestiário”.

”Ô, Caio, deixa eu falar uma coisa: você tá totalmente equivocado, porque só pode falar se você acompanhar de perto. Procura conversar com o Roger [ex-técnico do Grêmio], aí você vai ver como é o Vanderlei trabalhando. É que você imagina que o resultado seja por causa do meu trabalho. É totalmente moderno, alinhado com as coisas que acontecem hoje. Por exemplo, quem trouxe análise de desempenho para o futebol?”, desabafou Luxemburgo.

Veja na íntegra!

https://www.youtube.com/watch?v=clsJlYryGSU