Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Ele encerrou a carreira em 2011 após desilusão na Ásia, mas cinco anos depois quer recomeço

Considerado uma das boas promessas do futebol no início da década de 2000, o desconhecido meia Heder Singulano despertava a atenção nos jogos. Revelado pelo América-MG, seu futebol o levou às seleções brasileiras de base e chegou a ser campeão do Mundialito Sub-17 em cima da rival Argentina, que tinha Tevez e Mascherano em campo, por exemplo.

Márcio Donizete
Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade de TV. Foi repórter colaborador, líder de colaboradores e editor no Torcedores.com. Apresenta o Lente Esportiva ABC em lives no Facebook e Youtube.

Crédito: Crédito da foto: Arquivo pessoal

VEJA MAIS
ESTADOS UNIDOS SÃO GOLEADOS PELA COSTA RICA E PÚBLICO ELEGE ‘CULPADO’: DONALD TRUMP

Heder Singulano foi campeão em 2000 pela seleção sub-17 - Crédito da foto: Arquivo pessoal

Heder Singulano foi campeão em 2000 pela seleção sub-17 – Crédito da foto: Arquivo pessoal

“Um título importante contra a Argentina de Tevez e Mascherano. Eu entrei em campo com a função de anular o Carlitos e fui bem-sucedido. Tenho muito orgulho de relembrar daquele momento”, recorda o meio-campista, que depois passou por clubes de São Paulo, como Comercial, Marília e Barretos.

Em 2008, um desafio diferente lhe fez trocar de país: o futebol do Cazaquistão. No desconhecido FC Ordabasy ele brilhou. Foi considerado o melhor estrangeiro naquele ano e entrou na seleção do campeonato local. Depois, foi emprestado ao Lok Stendhal (ALE) e voltou rapidamente após não-acerto financeiro com o clube alemão.

Em 2011, com 27 anos, veio seu pior momento e o abandono da carreira de forma precoce. Um problema com um ex-empresário lhe tirou o sonho de trabalhar com os pentacampeões Luiz Felipe Scolari e o meia Rivaldo no Bunyodkor, time emergente do Uzbequistão.

“Recebi uma proposta irrecusável do futebol do Uzbequistão, time na época dirigido pelo Felipão, onde atuava o Rivaldo, mas passei a negociação para meu empresário. Ele agiu de má fé, ofereceu outro jogador, fato que gerou uma grande insatisfação e a transação não foi concluída. Após este episódio eu perdi a motivação e decidi dar uma pausa na minha carreira”, desabafou.

Hoje, com 32 anos, Heder Singulano busca um recomeço e quer voltar aos campos profissionalmente, mesmo cinco anos depois de deixar a carreira. “Eu sempre me cuidei. Mesmo fora dos gramados eu nunca deixei de treinar. Durante a minha carreira, eu tive poucas lesões e nunca tive problemas em relação ao peso. Muitos amigos me incentivavam a voltar, mas eu não queria. Hoje a magoa passou, estou mais maduro e com gana de voltar”, projetou o jogador.

Agora, o foco é negociar com alguma equipe para o retorno ao que mais gosta: jogar futebol.

Veja a agenda esportiva da semana na televisão:

VEM AÍ O PRÊMIO TORCEDORES.COM DE JORNALISMO COLABORATIVO
Prêmio Torcedores.com terá sua 2ª edição em 2016
Conheça os finalistas do prêmio Torcedores.com de mídia esportiva 2016