Mário Sérgio teve passagem pelo São Paulo marcada por polêmica com Rogério Ceni

O comentarista Mario Sérgio do canal Fox Sports era um dos passageiros do avião que levava a delegação da Chapecoense e caiu em La Union, cidade colombiana próxima a Medellín. Ex jogador e também ex-técnico, Mario Sérgio protagonizou várias polêmicas, e uma delas, foi quando comandou a equipe do São Paulo em 1998 e simplesmente barrou o goleiro Rogério Ceni de cobrar faltas.

Rodrigo Nascimento
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/YouTube

O comentarista Mario Sérgio teve uma carreira cheia de polêmicas, como jogador, técnico e comentarista. Entre os diversos clubes que defendeu nos gramados, ele teve duas passagens pelo São Paulo: como jogador entre 1981 e 1982, e como técnico em 1998. E foi nesta última passagem pelo Tricolor Paulista, que ele causou sua maior polêmica pelo clube: vetou o goleiro Rogério Ceni de cobrar faltas.

LEIA MAIS:
NO AUTOMOBILISMO, DIVERSOS PILOTOS PRESTAM SOLIDARIEDADE A CHAPECOENSE PELAS REDES SOCIAIS
TRISTE COINCIDÊNCIA: EM 29 DE NOVEMBRO DE 1975, GRAHAM HILL MORREU EM ACIDENTE AÉREO NA INGLATERRA

Na época, o então treinador do São Paulo justificou a decisão por conta do número baixos de gols do goleiro (até aquele momento, Rogério tinha seis gols marcados em cobranças de faltas), o fato do jogador cansar rapidamente por conta de ter que atravessar o campo inteiro para uma cobrança, e pelo fato de ter no elenco, jogadores com qualidade para bolas paradas, como Dodô e França por exemplo.

O São Paulo não estava fazendo uma boa temporada, não tinha mais chances para se classificar para as quartas de final do Campeonato Brasileiro, e devido aos maus resultados, começava a se aproximar da zona de rebaixamento. Infelizmente para Mario Sérgio, suas decisões não melhoraram o cenário para o Tricolor Paulista, e acabou demitido após dez jogos à frente do time, com três vitórias, um empate e seis derrotas.

Muitos anos depois, Mario Sérgio reconheceu que havia cometido um erro (confira mais clicando aqui), e até afirmou que foi uma pena não ter percebido na época que tinha um atleta fora de série nas mãos e não soube aproveitar.

Mario Sérgio Pontes de Paiva atualmente trabalhava como comentarista no canal Fox Sports e estava a caminho de Medellín para cobrir a partida entre Atlético Nacional e Chapecoense pela final da Copa Sul Americana. Ele tinha 66 anos e deixou a mulher, Mara, e o filho, Felipe.