2016 foi o ano do ‘inferno astral’ de Jon Jones no UFC

Crédito da foto: Reprodução/Youtube/TMZ Sports

2016 deveria ser o ano em Jon Jones ressurgiria no MMA e reconquistaria o cinturão dos meio-pesados do UFC, se colocando novamente como uma das estrelas do mundo das lutas. Mas um exame antidoping positivo antes do UFC 200 simplesmente trouxe o caos de volta na vida de ‘Bones’, que está suspenso por um ano das lutas.

O Torcedores.com fará neste mês de dezembro uma retrospectiva com os grandes momentos do ano e agora falaremos dos (poucos) altos e (muitos) baixos de Jones no ano de 2016. Um ano que não será esquecido pelo lutador e fãs.

LEIA MAIS

 

A volta

Depois de passar grande parte de 2015 suspenso por se envolver em um acidente automobilístico com feridos, Jones teve sua suspensão encerrada pelo UFC e foi escalado para enfrentar o rival Daniel Cormier no UFC 197. Mas uma lesão do campeão linear dos meio-pesados fez com que ‘Bones’ tivesse que lutar pelo cinturão interino da categoria contra Ovince St-Preux.

Não foi a melhor luta do ex-campeão, mas deu para o gasto e assim o título interino dos meio-pesados. De quebra, ainda deu uma provocada em Cormier, que participava da transmissão da luta como convidado usando um gesto não muito familiar

Vai ter revanche?

O Ultimate marcou a revanche entre Jon Jones e Daniel Cormier para o (que achavam que seria) mítico UFC 200, em julho. E as provocações entre os dois voltaram a tomar conta do cenário do MMA. Principalmente na conferência de imprensa ‘Unstoppable’, na qual ambos descarregaram suas baterias com suas melhores provocações (e Jones novamente mostrando que sabe como cutucar um rival com palavras).

Positivo… negativo!

Mas na semana do evento, a talvez maior bomba do ano no UFC: Jones foi pego no exame antidoping em um teste feito na parte final do treinamento para a luta contra ‘DC’. As substâncias detectadas no corpo de ‘Bones’, o clomifeno e o letrozol, eram bloqueadores de estrogênio e geralmente associadas com uso de esteróides.

A solução? Tirar o ex-campeão do card e o substituir em cima da hora por Anderson Silva, que perdeu para Cormier a luta. Com direito a coletiva e choro, uma das maiores estrelas das lutas na atualidade havia entrado no rol dos ‘trapaceiros’

Suspensão chegando!

A defesa do lutador até tentou, e em certa parte, convenceu a Agência Antidopagem dos Estados Unidos (USADA) de que Jones havia tomado as tais substâncias em uma pílula para disfunção erétil que estava contaminada com estas substâncias e assim evitou uma grande pena de suspensão.

Só que não conseguiu convencer a agência do total ‘acidente’ na hora de ingerir a tal pílula. A USADA apontou que ‘Bones’ poderia ter conhecido os riscos do uso daquele produto e acabou o suspendendo por um ano, mesmo tempo da suspensão da Comissão Atlética de Nevada.

Jon Jones só voltará a lutar no meio de 2017, quando espera-se que poderá fazer de vez a revanche com Cormier e caminhar em sua carreira para novas conquistas e poucas confusões

(Crédito da foto: Reprodução/Youtube/TMZ Sports)