Abraço no clássico remete ao passado e deixa lição

O abraço no clássico entre Cristiano Ronaldo e Messi foi destaque do diário catalão Sport. O super clássico espanhol entre Barcelona e Real Madrid envolve muito mais do que só futebol, tem todo um histórico político por trás que faz com que seja um das maiores rivalidades do mundo e, consequentemente, um dos duelos mais assistidos em todo o planeta.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Abraço no clássico entre Cristiano e Messi remete abraço de Puyol e Raúl (crédito: Twitter @sport)

LEIA MAIS
‘EL CLÁSICO’ BARCELONA X REAL: VEJA DUELO ENTRE QUALIDADE E NÚMEROS
BARCELONA 1X1 REAL MADRID: ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS
NEYMAR LEVA CAMISA DA CHAPECOENSE PARA CLÁSSICO BARCELONA X REAL; ASSISTA

O abraço no clássico entre as duas estrelas da partida foi um contraponto a toda tensão e intensidade da partida deste último sábado, que terminou empatada por 1-1, mas remeteu a uma imagem de um clássico passado, mais precisamente na temporada de 2008-2009. Carles Puyol e Raúl González, os capitães das duas equipes, se abraçaram no duelo em que terminou em 2-6 para o Barcelona, em pleno Santiago Bernabéu.

A imagem deste último sábado é ainda mais simbólica se pensarmos na tragédia que aconteceu nesta semana no vôo da Chapeconese. Inúmeras homenagens foram realizadas em todas as parte do mundo e uma onda de solidariedade surpreendeu a todos que acompanham o futebol. Ao meio de toda a dor da tragédia, as pessoas ainda conseguiram deixar a rivalidade de lado e lembrar que, no fundo, é mundo mais do que só futebol.

As duas equipes espanholas também prestaram suas homenagens ao se alinharem antes da partida, com seus jogadores lado a lado, e faz um minuto de silêncio em frente a uma placa de apoio a Chapecoense. Que esse abraço no clássico sirva de exemplo para que todos lembrem que a rivalidade é só dentro de campo e que o futebol foi criado para unir os povos.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

O abraço no clássico, veja: