As experiências que só o Jornalismo Esportivo pode lhe proporcionar. Obrigado, Torcedores.com

Foto: Rodrigo Nascimento/Arquibancada do Distrital do Inamar

Para alguns, o Jornalismo pode ser encarado como uma profissão na qual você pode conhecer pessoas que a maioria verá apenas pela TV. Para outros, talvez seja a profissão na qual se saí melhor, e por isso, se tornou uma opção de renda. É claro que existem aqueles que quando se dão por si, estão lá, cobrindo notícias e criando um nome nesta concorrida profissão. E também, temos os que nasceram para isso, pelos mais diversos motivos: influência da família, talento natural, entre outros. No meu caso, o Jornalismo Esportivo e seu universo era apenas um sonho distante, o qual tive o prazer de conhecer, graças ao Torcedores.com. Muito obrigado!!

Primeiramente, deixo claro que sempre sonhei com o Jornalismo Esportivo. Na verdade, me iludia em ser narrador ou repórter de campo, mas sempre tratei essa ideia como uma simples fantasia de infância, que era um sonho. Com o passar dos anos, depois de inúmeras tentativas nos mais diversos ramos de atividades, resolvi que era hora de arriscar nesta área, tentar algo que realmente gostava de verdade, e em março deste ano, conheci o Torcedores.com.

LEIA MAIS:
PHILADELPHIA EAGLES X NEW YORK GIANTS: SAIBA TUDO SOBRE O CONFRONTO

Depois de ter participado de algumas coberturas inesquecíveis, como dos Jogos Olímpicos por exemplo, ganhei algumas oportunidades de finalmente ter um contato maior com o Jornalismo Esportivo, com entrevistas e alguns eventos. Entre elas, guardarei sempre com carinho, o fato de ter sido graças ao Torcedores o meu primeiro contato in loco com o Autódromo de Interlagos, além de ter participado da cobertura fantástica que fizemos no site, tanto no GP do Brasil quanto na decisão em Abu Dhabi.

Tive outras oportunidades interessantes, como entrevistar o capitão do Penta, Cafu, e uma live ao vivo com César Sampaio. Também falei com o Giovanni Augusto e o ex-jogador Dinei em um evento do Corinthians. Ir ao Prêmio Torcedores foi uma incrível experiência, pois conheci algumas pessoas das quais sou fã de verdade, e quando digo isso, não me refiro apenas aos jornalistas convidados ao evento, pois existem muitos colaboradores aqui no site que realmente são muito bons, e com os quais aprendi muito.

Outro sonho realizado, foi conhecer os estúdios da ESPN. Ver o local onde é realizado o meu programa esportivo predileto e que sempre encerra o meu dia, o SportCenter, foi fantástico. Além disso, acompanhei o Bate Bola ao vivo com o “Alê Monstro”. Realmente, a ESPN possí uma estrutura impressionante, e que desperta uma vontade ainda maior de mergulhar de vez no Jornalismo Esportivo.

Para fechar este ano, fui cobrir um evento no Distrital do Inamar, estádio da minha cidade, Diadema. Foi um jogo beneficente, mas que teve uma importância significativa para mim. O local onde é o estádio, foi “palco” dos tempos em que me iludia com a possibilidade de ser jogador de futebol. Inclusive, foi muito bom rever algumas pessoas que dividiram a mesma ilusão que eu, e que hoje, ainda moram próximo do estádio, ou até mesmo trabalham no Água Santa ou no estádio.

Quando entrei no gramado para tentar entrevistar os jogadores, fiquei feliz de uma forma que não tinha ficado nenhuma vez quando no lugar do gramado, era apenas um terrão, e conseguia marcar meus gols (que não foram muitos, portanto, são fáceis de lembrar rsrs). É claro que poderia ter aproveitado mais, mas houve muitos imprevistos que dificultaram o meu êxito em cobrir o evento, mas que no fim, superei e consegui ao menos acompanhar tudo. O que apenas me deixou mais claro o quanto gosto desta área de atuação, pois dificilmente me esforçaria tanto diante de tantos empecilhos, como foi este caso especifico.

No fim, saí do Distrital do Inamar com a certeza absoluta que o Jornalismo Esportivo é o meu lugar. Sei que preciso melhorar muito, mas neste momento, estou no lugar certo, com as pessoas certas, com as oportunidades apropriadas, e onde sempre consigo aprender, seja com meus textos, seja com os textos de outros colaboradores, ou simplesmente nas conversas que temos em eventos ou pelo Facebook.

Agradeço a todos que tornaram possíveis essas experiências, entre eles, cinco “monstros” sagrados do Torcedores: Renan Prates, Lucas Tieppo, Matheus Adami, Allan Simon e Eduardo Lucizano. Também tenho que agradecer a diversos colaboradores, mas são muitos, e a lista seria extensa, portanto, prefiro não ficar dando nomes rsrs. Mas, aprendi com praticamente todos, seja na questão de apurar uma pauta, de conseguir audiência, de ser criativo, ou até mesmo de se dedicar a uma determinada modalidade sem visar nada além do que fornecer ao leitor, uma informação digna do esporte que ama. Para alguns, como eu, as vezes é o que basta. E assim, sigo sonhando, afinal, como diz a faixa que sempre marca presença no Distrital do Inamar: “Deus não alimenta um sonho em sua mente que não possa ser realizado”.

Obrigado, Torcedores.com!!