Confira o balanço da gestão Leco no São Paulo

Leco
Crédito da foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Pouco mais de um ano após a renúncia de Carlos Miguel Aidar, Leco assumiu o cargo de presidente do São Paulo com a missão de colocar o clube novamente nos eixos e equilibrar o setor mais desfigurado da entidade: o financeiro. É fato que 2016 não foi o ano dos sonhos para o torcedor são paulino mas poderia ter sido muito pior. Confira os argumentos que comprovam que a gestão teve saldo positivo.

Financeiro:

O São Paulo enfrentou o maior escândalo da sua história e a crise financeira apertou da mesma forma. Sem patrocínio master desde a Semp Toshiba em 2013, Leco e o departamento de futebol conseguiram reforçar o elenco e os méritos principalmente ficam por parte do diretor de marketing Vinicius Pinotti. O diretor está no Morumbi desde investir na contratação de Centurión e participou gestão Aidar mas ganhou relevância por trazer novos patrocinadores que ajudaram a dar um alento as dívidas.

LEIA MAIS:

MARCO AURÉLIO CUNHA DIZ QUE SÃO PAULO E MICHEL BASTOS ESTÃO PRÓXIMOS DE RESCISÃO AMIGÁVEL

MERCADO DA BOLA: SÃO PAULO ENCAMINHA ACERTO COM RICARDO GOULART

KAKÁ ADIA VOLTA AO SÃO PAULO E CONTINUA NO ORLANDO CITY EM 2017

Contratações:

Calleri, Maicon, Mena e Chavez são exemplos que deram certo e vieram a custo zero. Em um ano que o dinheiro foi escasso, as negociações foram pontuais e fizeram o clube alcançar a semifinal da Copa Libertadores. Cueva chegou do Toluca após a competição internacional e foi protagonista na reta final do Brasileirão.

Ganso foi negociado com o Sevilla em tempos de faturar dinheiro. Wilder foi devolvido aos mexicanos.

Para 2017 estão contratados Neílton, Wellington Nem, Sidão e Rogério Ceni como técnico. Hudson foi para o cruzeiro por empréstimo na troca com o Neílton.

Uso da base:

A dificuldade de sobrar dinheiro para contratar jogadores obrigou o São Paulo a usar a base. Luiz Araújo, David Neres, João Schmidt, Lyanco e Lucas Fernandes foram opções durante o ano e ganham moral para iniciar em 2017 e provar para Rogério Ceni que podem ser titulares. Para a próxima temporada mais alguns jogadores do sub-20 vão ser efetivados. Em 2016, a base foi uma das mais vencedoras da história com seis títulos na temporada e conquistou a inédita Libertadores e o bicampeonato da Copa do Brasil.

Mudança no estatuto:

Enfim o São Paulo adquiriu um novo estatuto e as mudanças feitas serão fundamentais para o futuro do clube. Dentre as sugestões aprovadas estão a duração do mandato de presidência que vai durar 3 anos sem reeleição e a profissionalização da diretoria. A conquista para São Paulo e Leco, principalmente ao dirigente que ganhou pontos para garantir a eleição em abril de 2017.

Competições:

Mais um ano ruim nas competições disputadas. O São Paulo foi eliminado nas quartas do Paulistão pelo Audax por 4 a 1. Caiu na Copa do Brasil diante do Juventude com derrota no Morumbi e vitória que não resolveu a situação. Na Libertadores o começo foi ruim mas mesmo com todos os problemas enfrentados no ano, alcançou a semifinal com Patón Bauza. O Brasileirão foi de altos e baixos e a salvação do rebaixamento nas últimas rodadas.



Estudante de jornalismo e atualmente setorista do São Paulo no Torcedores.com