Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

São Paulo tem redução de dívida e fecha 2016 com superávit

O São Paulo conseguiu reduzir a dívida que assombra a diretoria há algum tempo. Atualmente, o valor está em torno de R$ 145 milhões para os bancos e parte da dívida total está parcelada pelo Profut. A informação é do diretor financeiro do clube, Adílson Alves Martins em entrevista à Rádio Globo na qual ainda que o clube tinha a previsão de encerramento em déficit de R$ 10 milhões e terminou superávit de R$ 1 milhão em 2016.

Luis Feitosa
Jornalista graduado e amante de futebol e futebol americano

Crédito: Crédito da foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

“Saímos de um déficit de R$ 103 milhões em 2014, depois fomos para R$ 73 milhões em 2015 e agora um superávit de R$ 1 milhão. Conseguimos diminuir a dívida do clube em R$ 25 milhões, aderimos ao Profut e alongamos R$ 61 milhões em dívidas que serão pagas dentro do prazo de cinco anos. Estamos no caminho certo, mas ainda há muita coisa para fazer”.

LEIA MAIS:

SÃO PAULO DEFINE VALOR PARA GASTAR EM CONTRATAÇÕES EM 2017

SÃO PAULO EFETIVA SETE JOGADORES DO SUB-20 PARA O TIME PRINCIPAL

A redução nas dívidas se deu pelo aumento das receitas principalmente com a campanha na Libertadores. Em vários jogos deste ano, o São Paulo teve públicos acima dos 50 mil torcedores e além disso houve uma promoção de ingressos para atrair o público.

“Tivemos várias receitas adicionais. Ganhamos mais do que o previsto na Libertadores. De vendas de jogadores, a previsão era de somarmos R$ 24 milhões e chegamos a R$ 80 milhões. Além disso, teve a negociação da TV fechada, que rendeu mais R$ 60 milhões. Com isso, conseguimos amortizar uma parte da dívida. Também preciso ressaltar o ótimo trabalho feito pelo marketing, o que também provocou aumento na receita” acrescentou.

O diretor ainda afirmou que em dezembro o clube pegou empréstimo de R$ 10 milhões para saldar 13°salário e férias dos jogadores. O valor foi solicitado após o insucesso em conseguir outra maneira a não ser recorrer à instituições bancárias.

“Em dezembro, há queda de receita e aumento de despesa. Por isso, fomos a bancos. Com isso, conseguimos honrar com todos os compromissos” afirmou o diretor.

Com a não classificação para a próxima Libertadores, o diretor afirma que o São Paulo deixará de ganhar pelo menos R$ 10 milhões.

“Eu posso dizer que a Libertadores rendeu R$ 22 milhões líquidos ao São Paulo em 2016. Não disputar causa prejuízo, mas espero que o clube possa compensar de outra maneira. Se o Rogério conseguir montar um time competitivo, passaremos a ter boa receita de bilheteria e isso também vai ajudar. Vamos ter uma reunião no fim de janeiro para discutir preço dos ingressos e precisaremos achar um equilíbrio entre o que o cube quer e o torcedor espera” concluiu Adilson.

Vale lembrar que o São Paulo saiu do zero para faturar quase R$ 35 milhões com patrocinadores, incluindo a Prevent Senior que de patrocínio imediato tornou-se master em maio deste ano. O clube estava sem patrocinador master desde a saída da marca Semp Toshiba em julho de 2014.