Zico explica a origem e o significado da expressão “Espírito de Zico”

Em evento que apresentou os desafios para a preparação do jogo das estrelas, Zico aproveita o momento para explicar a origem e o significado da expressão “espírito de Zico”.

Em jogo pelo mundial de clubes a torcida do Kashima apresentou um bandeirão, onde se lia “Espírito de Zico”. Ao que parece, o time foi embalado por esse mantra, pois, na primeira partida venceu Sundowns por 2 a 1 e depois o Atlético Nacional de Medelim e chegou a final contra o Real Madrid, inclusive em dada etapa da partida, os japoneses estiveram a frente da equipe madrilenha e se não fosse a participação equivocada do Juiz (que não deu o segundo amarelo para o Sérgio Ramos) e o bom aproveitamento do Cristiano Ronaldo teria vencido o jogo. Para surpresa de todos os presentes no evento, a homenagem citada acima, que foi feito pelos torcedores do Kashima, não era inédita.

Segundo o Zico essa frase foi criada dentro do Kashima, onde existia um quadro com o escudo  clube, ao lado da imagem da família Antlers (fundadores do clube japonês) , e representava a necessidade trabalho, lealdade e respeito para se obter o sucesso. No entender dos japoneses isso significava o espírito de Zico. Para o ex-jogador e técnico do Kashima: “Isso é gratificante, isso emociona. certa vez, retornei ao Kashima para uma homenagem, em dado momento os torcedores desceram esse bandeirão, na ocasião foi difícil aguentar. Praticamente em todas as partidas, principalmente as mais importantes eles prestam essa homenagem. Fico feliz pelo reconhecimento que eles (japoneses) tem pelo nosso trabalho realizado”.

Zico reforçou que no início, o trabalho no clube japonês foi duro. Primeiro o time teve que disputar as séries C e B, tinha que ficar entre primeiro e segundo para subir de série. Segundo porque não existiam campos adequados, nesta época, o campo era de terra e ficava atrás da fábrica. Ainda tinha uma situação estranha na postura dos jogadores japoneses, que além de não serem remunerados, passavam muito tempo em cassinos e não se portavam como profissionais. Para começar os trabalhos tiveram os brasileiros que escolher com cautela os jogadores mais comprometidos com a equipe para iniciar o campeonato.

Além do Zico, o ex-técnico do Flamengo Valdir Espinosa tentou traduzir, o que era para ele o “espírito de Zico”, quando ainda treinava o Flamengo, presenciou o empenho do galinho de Quintino nos treinamentos, pois mesmo sem estar no melhor de sua forma física não pedia para ser poupado, para que não foi mal exemplo, para os mais jovens.