Crefisa deve aumentar patrocínio e Palmeiras pode ganhar força para investir

A novela da renovação do Palmeiras com a sua principal patrocinadora, a Crefisa, deve ter um final feliz. Após algumas desavenças e desentendimentos, principalmente entre Leila Pereira, presidente da empresa, e Paulo Nobre, que deu lugar a Mauricio Galiotte no Verdão, as duas partes encaminharam um acordo que vai ser assinado no dia 16 deste mês e ter a validade de um ano.

Bruno Nunes Loreto
Formado em Jornalismo na Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC. Amante dos esportes, principalmente o bom e velho futebol. Setorista de Grêmio e Fluminense.

Crédito: Crédiso de imagem: Divulgação

No novo contrato, o Palmeiras vai passar a receber mais da Crefisa. De acordo com o blog do jornalista Alexandre Praetzel, o valor pago ao Verdão subirá para R$ 90 milhões, o que representará um aumento de R$ 24 milhões em relação ao ano de 2016. Além disso, a própria Crefisa já provou que pode ajudar o clube com investimentos além do valor do patrocínio.

LEIA MAIS:

DIRETOR DO SÃO PAULO DESEJA SUCESSO PARA MICHEL BASTOS NO PALMEIRAS

CAMPEÕES PELO PALMEIRAS, ZÉ ROBERTO E DUDU ENTRAM EM “SELEÇÃO DAS AMÉRICAS”

No clube desde 2015, o atacante Lucas Barrios, por exemplo, foi um ‘presente’ da Crefisa ao Palmeiras. Na época da contratação do paraguaio, o valor do total investido, somando-se salários e luvas em três anos de contrato, foi de R$ 40 milhões.

Já no últimoo mês de dezembro, Leila Pereira manifestou seu desejo de realizar grandes investimentos e também deixou claro que fará o ‘impossível’ para que o Verdão conquiste a Copa Libertadores da América e o Mundial.

Para 2017, o Palmeiras já anunciou a contratação de cinco jogadores, sendo eles: Raphael Veiga, Hyoran, Keno, Alejandro Guerra e Michel Bastos. O volante Felipe Melo, da Internazionale de Milão, é outro que está próximo de ter sua chegada confirmada. No entanto, a expectativa dos palmeirenses é pelo substituto de Gabriel Jesus, negociado com o Manchester City da Inglaterra.

Os nomes que surgem como alvo são o do colombiano Miguel Borja, do Atlético Nacional, e do argentino Lucas Pratto, do Atlético-MG, mas ambos estão valorizados no Mercado da Bola.

Borja, que foi o carrasco dos brasileiros na última Libertadores, custa 20 milhões de euros (R$ 71,6 milhões). Já para ter Pratto, o valor investido teria que ser de 15 milhões de euros (R$ 53 milhões), que é o montante pedido pelo Galo.