Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Ídolo no Vasco, Felipe enfrenta dificuldades no Carioca como técnico

Campeão da Libertadores, o ex-lateral esquerdo Felipe assumiu o comando técnico do Tigres, que disputa vaga na fase de grupos do Campeonato Carioca.

Bia Palumbo
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Youtube

O Tigres busca a primeira vitória no ano – empatou com a Cabofriense e perdeu para o Nova Iguaçu. “Fico de mãos atadas porque só posso ajudar durante a semana, não consigo entrar em campo”, lamentou Felipe Loureiro durante entrevista exclusiva ao Torcedores.com no Rio de Janeiro.

Felipe Loureiro convidou o ex-jogador Pedrinho para ser seu auxiliar técnico. “Somos amigos há anos. No final de carreira a gente pensou em fazer essa parceria fora de campo, procuramos estudar juntos. É um desafio novo, muito gratificante. Precisamos um pouco de sorte para se Deus quiser ter metade do sucesso que tive na carreira de jogador. Estou muito feliz em trabalhar com ele, temos muito a evoluir. É meu parceiro dentro e fora de campo. Estamos fazendo um belo trabalho, mas às vezes me sinto limitado em relação à qualidade dos jogadores. A gente procura tentar passar o máximo de informação para render o máximo possível”, completou.

Primeiro desafio: Campeonato Carioca

“A primeira rodada poderia ter sido melhor porque jogamos bem no início do segundo tempo, abrimos 2 a 0 e cedemos o empate. Deixamos escapar a vitória, então foi empate com sabor de derrota. O segundo jogo foi muito ruim, os jogadores foram muito abaixo do que podem render, tomamos um gol com dois minutos e ficamos com um a menos. A derrota faz parte do aprendizado, então vamos tentar melhorar no próximo”, analisou Felipe Loureiro.

O próximo jogo do Tigres é contra a Portuguesa. “Vamos em busca da classificação, temos que ganhar em casa na quarta-feira”, resumiu o técnico, referindo-se ao jogo de quarta (18), às 16h30 (de Brasília), em Los Larios.

Seis times disputam a fase preliminar do Campeonato Carioca (Bonsucesso, Cabofriense, Carapebus/Campos, Nova Iguaçu, Portuguesa e Tigres). Os dois melhores avançam para a fase principal – quando entram Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco.

“Essa fase é uma mini Copa do Mundo, são seis clubes e só passam dois, mas esperamos passar para poder enfrentar os grandes. Começamos do zero. A gente não tinha jogadores e foi formando o elenco. A parte que me doeu como ser humano foi dispensar jogadores, isso foi a parte ruim mas infelizmente faz parte do meu trabalho. Para mim é motivante passar a experiência da carreira de jogador e um pouco do que aprendi no curso da CBF. Fizemos uma peneira, chegaram 19 jogadores, pelo conhecimento no futebol pedimos ajuda a alguns amigos”, explicou Felipe Loureiro.