Opinião: A contratação de Michel Bastos pelo Palmeiras foi desnecessária

O Palmeiras terminou 2016 e iniciou 2017 com um anuncio de um dos grandes reforços para a temporada: Michel Bastos, que chega com status de titular no atual elenco do Verdão.

Bruno Barbato
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/Palmeiras

No entanto, não acredito que seja bem assim. A contratação do ex-jogador do São Paulo foi desnecessária. Na minha visão, o atleta, que já tem 33 anos, já não vinha rendendo o esperado no Tricolor Paulista, e seu nome andou mais ligado à reclamações do que ao futebol apresentado.

Desde que deixou o Lyon em 2013, Michel não apresentou um futebol que o fez ser um dos melhores atletas em solo francês, onde morou e jogou por 8 temporadas, até chegar à seleção brasileira, disputando a Copa do Mundo de 2010.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Sua carreira é magnífica, e de muito sucesso no exterior, visto que iniciou a carreira profissional em um dos grandes da Holanda, o Feyenoord. Mas, após 15 anos como profissional, vive uma decadência técnica, e forçou sua saída do São Paulo (cá entre nós se tem algo que o Palmeiras fez bem foi administrar egos para o jogo fluir em campo).

Sendo assim, por quê trazer tal peça para o elenco? O meio de campo está cheio de bons jogadores (Moisés e Tchê Tchê, a melhor dupla de volantes do Brasil, além do craque da última Libertadores, Guerra).

Seu empresário disse que Michel quer jogar no meio, e não na lateral. Ou seja, os motivos para uma não contratação aumentam ainda mais com esse argumento, ainda mais em um elenco que conta com Dudu, Roger Guedes, Moisés, Tchê Tchê, Cleiton Xavier, e agora Hyoran, Raphael Veiga e Guerra.

O foco de Alexandre Mattos e da direção deveria ser exclusivamente um atacante camisa 9, e um defensor. Talvez um jovem goleiro em potencial para ser utilizado nos próximos anos e dar sequência aos bons goleiros que passam pelo clube.