Novo presidente do Palmeiras retoma relação harmoniosa com a Mancha Verde

Ratificando a informação de que está se distanciando de Paulo Nobre, o novo presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, tomou nova atitude que vai contra o que o ex-mandatário pregava – a retomada de relações com as torcidas organizadas do clube. Reportagem do jornal “Folha de S. Paulo” informa, nesta quinta-feira, que o Verdão voltou a estabelecer “relação cordial com a Mancha AlviVerde e demais uniformizadas”.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Arte: Matheus Martins Fontes/Torcedores.com

LEIA TAMBÉM:
Reforços fazem Palmeiras de Eduardo Baptista mais polivalente que o de Cuca
Você percebeu? Palmeiras mudou política de contratações no Palmeiras em 2017
Opinião: Palmeiras de Mattos virou pesadelo de Corinthians e Flamengo em 15 dias
Crefisa seguirá estampando marca na camisa do Palmeiras antes de renovação
SporTV e ESPN transmitem Chapecoense x Palmeiras na TV fechada

Quando estava no poder, Nobre rompeu com a Mancha Verde em 2013 após torcedores agredirem os jogadores do Palmeiras, incluindo o goleiro Fernando Prass, em Buenos Aires após partida pela Libertadores. Dali em diante, o então presidente disse que “não daria mais regalias à torcida, como vender ingressos para jogos em todo país e ceder bilhetes para partidas no exterior”.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

O impasse seguiu nos anos seguintes e chegou ao ápice em 2016, quando Nobre expulsou membros da Mancha que se envolveram em briga com torcedores do Flamengo durante jogo pelo Campeonato Brasileiro e que causou interdição do setor Gol Norte, exatamente os da uniformizada, pelo STJD.

De acordo com reportagem, Galiotte recomeçou o diálogo do clube com a Mancha após o título brasileiro. Logo depois da vitória contra a Chapecoense, ainda no gramado do Allianz Parque, o novo presidente saudou a torcida, o que deixou Nobre muito irritado.

Galiotte planeja vender ingressos nas bilheterias do Allianz Parque para partidas fora da capital com autorização do mandante. Outra ideia é de garantir que a Mancha Verde fique no setor amarelo do estádio do Pacaembu, na popular “curva”, como era de praxe antes do imbróglio com Paulo Nobre.