Relembre as maiores rivalidades da história do tênis

A decisão do torneio masculino de simples do Australian Open de 2017 marcou o retorno de um dos grandes confrontos da história do tênis. No duelo, Roger Federer conseguiu sua décima segunda vitória contra Rafael Nadal – que tem vinte e três triunfos.

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Getty Images

O título foi a primeira vitória do suíço contra o espanhol na Austrália – foram três de Nadal, que também possui vantagem nos duelos em grand slams: nove vitórias e três derrotas.

LEIA MAIS:
BRYAN KUNTZ COMPETE EM SUL-AMERICANO DE TÊNIS NO PARAGUAI
OPINIÃO: FINAIS DO AUSTRALIAN OPEN FORAM ENCANTADORAS, VEJA

Federer, porém, possui mais títulos dentro dos quatro principais torneios do calendário do tênis: dezoito, ante catorze do espanhol. O suíço também possui mais títulos que o espanhol em três dos quatro grand slams: Australian Open, Winbledon e US Open.

Chave feminina

A final da chave feminina também foi mais um capítulo de uma grande rivalidade. Grande e especial, aliás: Venus Williams e Serena Williams, como o próprio sobrenome mostra, são irmãs. Aqui, porém, o histórico é muito favorável a Serena – não só por conta do título no Australian Open de 2017.

Em vinte e oito jogos, dezessete vitórias da irmã mais nova. Em grand slams, dez vitórias e cinco derrotas de Serena. Já em finais, nove vitórias e três derrotas – incluindo os sete triunfos e dois tropeços em finais dos quatro grandes torneios.

A final também é um ótimo momento para relembrar outras sete grandes rivalidades da história do tênis:

Steffi Graf x Monica Seles

Entre 1989 e 1999, a alemã e a iugoslava se enfrentaram quinze vezes, com dez vitórias de Graf e cinco de Seles. Em grand slams, vantagem também de Steffi: seis a quatro – mesmo retrospecto das finais entre as duas jogadoras.

Graf também leva vantagem no número de títulos de grand slams: vinte e dois (com pelo menos quatro títulos em cada um dos torneios, a única jogadora a conseguir tal feito), contra nove de Seles.

Ken Rosewall x Rod Laver

Os dois australianos se enfrentaram em incríveis cento e quarenta e sete jogos, com vantagem de Laver. Oitenta e um contra sessenta e seis. A vantagem também é de Rod em finais: trinta e seis, ante vinte derrotas. Nos poucos jogos em grand slams, porém, uma vitória para cada lado: em 1968, vitória de Rosewall na final de Roland Garros. Um ano depois, Laver deu o troco.

Rod Laver, que dá o nome para a principal quadra onde é disputada o Australian Open, venceu pelo menos duas vezes cada grand slam – somando onze conquistas. Rosewall tem oito troféus nos quatro principais torneios do calendário.

Bjorn Borg x John McEnroe

Mais que os resultados, chama a atenção na rivalidade os temperamentos dos tenistas. Borg, sempre frio e tranquilo, era a antítese perfeita para o sempre enérgico McEnroe. A diferença fez com que os confrontos ganhassem o apelido de “Fogo x Gelo”.

Em catorze jogos oficiais, sete vitórias para cada lado – tudo isso em apenas quatro anos, por conta da aposentadoria prematura do sueco. Em grand slams, os dois se enfrentaram sempre em finais – com três vitórias do americano.

A única vitória de Borg, porém, foi histórica: a final de Wimbledon em 1980. Com um quarto set com vitória de McEnroe no tie break por 18-16 e o troco do sueco no quinto set – 8-6. O jogo, aliás, virará um filme, com previsão de lançamento para a primavera de 2017. O americano será interpretado por Shia LaBeouf, com presença em filmes da saga “Transformers” e “Indiana Jones”.

A carreira de Bjorn Borg (conhecido como “Iceborg”), porém, foi de mais títulos em grand slams. Seis de Roland Garros e cinco de Wimbledon. Já McEnroe é tetracampeão do US Open e tri de Wimbledon.

Andre Agassi x Pete Sampras

Embora seja essa uma das rivalidades mais marcantes de todos os tempos, Pete Sampras possui vantagem em todos os aspectos. Ainda que pequena: em todo o confronto, trinta e quatro jogos e vinte vitórias de Sampras.

Em grand slams, seis vitórias de Pete e três de Agassi – incluindo as quatro finais vencidas por Sampras e uma única derrota. Em todas as finais, nove vitórias e sete derrotas para “Pistol Pete”.

Embora Sampras tenha mais grand slams (são catorze ao todo, incluindo os sete de Wimbledon e os cinco de US Open, recordes até hoje), Andre Agassi (detentor de oito troféus nos campeonatos principais) é quem possui ao menos um troféu de todos os quatro grandes torneios. Pete sequer chegou a uma final de Roland Garros.

Chris Evert x Martina Navratilova

Embora as duas tenham incríveis dezoito títuos de grand slams (Evert é, até hoje, a maior campeã do US Open e de Roland Garros, enquanto Navratilova segue soberana em Wimbledon), a vantagem no confronto histórico entre as duas é da tcheca.

Em todos os jogos, oitenta jogos e quarenta e três vitórias de Navratilova. Em grand slams, catorze a oito para a tcheca – contando as dez vitórias e quatro derrotas em finais. Ao todo, sessenta e uma finais – com trinta e seis triunfos de Martina.