Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Sem alta hospitalar, Follmann vai a amistoso da Chape e ergue troféu: “emoção muito grande”

Um dos cinco sobreviventes do terrível desastre aéreo que deixou 71 mortos na Colômbia, em novembro, o goleiro Jackson Follmann, mesmo sem ter recebido alta hospitalar, compareceu à Arena Condá neste sábado para assistir ao amistoso entre Chapecoense x Palmeiras. Antes de a bola rolar, o arqueiro, usando cadeira de rodas, recebeu a medalha da conquista da Copa Sul-Americana e ao lado do ex-goleiro Nivaldo, do lateral Alan Ruschel e do zagueiro Neto, ergueu o troféu de campeão.

Rafael Alaby
Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)

Crédito: Foto: Reprodução/TV

No intervalo do amistoso que terminou empatado por 2 a 2, Follmann concedeu entrevista à Rede Globo e não escondeu a emoção em poder participar do primeiro compromisso da Chape após a tragédia.

LEIA MAIS:
Jogo entre Chapecoense x Palmeiras é interrompido para homenagem emocionante
Jogadores sobreviventes da Chapecoense recebem medalhas e taça de campeão da Sul-Americana 
Douglas Grolli comemora primeiro gol da Chape: “Aqui é uma família” 
Chapecoense x Palmeiras: confira os gols da partida
Rafael Henzel emociona com crônica de Chape x Palmeiras

“Pra mim, é um pouco duro. Ainda estou internado no hospital. Participar desse evento pra mim foi uma emoção muito grande. A gente sempre estava aqui, treinando, jogando. Vir e ter uma homenagem emocionante… não tem como não ir às lágrimas. Estou feliz, me recuperando bem”, disse o arqueiro, que teve parte da perna direita amputada e nas últimas semanas passou por diversas cirurgias na coluna.

Follmann receberá alta do hospital na próxima terça-feira e garante que vai seguir a sua vida.

“É um sentimento que não tem explicação. Sempre deixei bem claro que queria fazer história e me espelhar em um goleiro como o Nivaldo. Quis Deus que fosse dessa maneira. Cabe a nós respeitar e procurar tocar a vida. É o que vou fazer. Terça-feira, quando der alta do hospital, vou procurar tocar minha vida”, completou.

Após receber a medalha e erguer o troféu da Sul-Americana, Follmann foi à tribuna de honra assistir ao duelo e vibrou com os gols da Chape, marcados pelo zagueiro Douglas Grolli e o volante Amaral, dois dos mais de 20 reforços do clube catarinense para a temporada 2017.