Futebol

Anulação de expulsão de Gabriel pode fazer clubes entrarem na justiça contra o TJD

Publicado às

Jornalista com passagens pelo Portal R7, Jornal do Trem, Impacto Comunicação, Dialoog Comunicação e Comunicale.

Crédito: Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

O cancelamento da expulsão de Gabriel, do Corinthians, no Dérbi, pelo presidente do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), Antônio Olim, antes do julgamento, pode fazer com que outras equipes entrem com recurso contra a medida.

De acordo com Olim, em entrevista ao jornal Estado de São Paulo, ele deu o aval ao Corinthians para que escalasse o atleta sem o julgamento – que será realizado pelos auditores na próxima segunda-feira (6). No entanto, a decisão abre brecha para que equipes do Campeonato Paulista procurem a Justiça sob alegação de que foram prejudicadas.

LEIA MAIS
SEM RODRIGUINHO, CORINTHIANS LEVA JADSON E DESTAQUE DA COPINHA PARA JOGO CONTRA O BRUSQUE
VEJA COMO FICA A CLASSIFICAÇÃO DO PAULISTÃO APÓS VITÓRIA DO CORINTHIANS SOBRE O MIRASSOL
DANILO SE EMPOLGA COM MOMENTO DO CORINTHIANS E AVISA: “QUANDO ENCAIXAR, VAI EMBORA”

Abri uma exceção que vai dar o que falar, mas estou com a consciência tranquila. Ele será absolvido no julgamento. Quem quiser recorrer, que recorra”, afirmou Olim em entrevista ao Estado. “Na regra, na Fifa, não existe isso”, afirmou.

Olim destacou que a intenção na liberação antecipada foi para agilizar o procedimento e lembrou ter feito o mesmo na final da Copa São Paulo de Futebol Junior, ao confirmar a eliminação do Paulista por ter escalado um jogador com documentação alterada. “Eu não estou mudando as regras. Estou usando o bom senso e mostrando o seguinte: antes dele (Gabriel) ser julgado e ficar fora, eu já absolvi. Na verdade, fiz um efeito suspensivo aguardando o julgamento, porque acho que ele será absolvido“, disse o mandatário do TJD.

O próprio árbitro Thiago Duarte Peixoto reconheceu, publicamente,  o erro após a partida. Ele afirmou ter confundido o volante corintiano com o volante Maycon, autor falta em Keno, do Palmeiras. No despacho em que determinou a anulação do cartão vermelho a Gabriel, Olim classificou a punição como “grotesca”. Peixoto acrescentou à súmula o erro, após ter enviado à FPF uma versão anterior do documento sem relatar o incidente.

O juiz atrapalhou um belo clássico por um erro e não foi humilde de voltar atrás. Eu fiz o que achei que deveria ser feito. Se não gostarem, que me tirem do tribunal. Eu sou assim”, afirmou Olim. “Pode ser que futuramente alguns clubes contestem, mas cada problema é um problema. Na hora a gente vê“, acrescentou.

Edson Ermenegildo, presidente do Mirassol, declarou a publicação que não pretende recorrer ao Tribunal, mas alerta para a decisão de outros clubes. “Qualquer outro clube interessado como terceiro pode reclamar. Aí vai ter problema“, disse. Antes do julgamento, o Corinthians ainda fará mais um jogo no Paulista, sábado, contra o Santos.