DESTAQUE

Após 6 anos de pena cumprida, Bruno deixa a prisão e fala sobre crime

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Depois de ter cumprido parte da sua pena, o goleiro Bruno conseguiu o direito de aguardar o seu julgamento em liberdade, apesar de ter sido condenado a 22 anos e 3 meses de prisão pela morte de Elisa Samudio. Porém, ao falar sobre o crime, o goleiro demonstrou extrema frieza.

Independente do tempo que eu fiquei também, eu queria deixar bem claro, se eu ficasse lá, tivesse prisão perpétua, por exemplo, no Brasil, não ia trazer a vítima de volta

Bruno, foi solto graças a um habeas corpus do STF, após a libertação, concedeu uma entrevista a Globo e falou sobre tudo o que aconteceu em sua vida e carreira, e se pretende recomeçar.

LEIA MAIS:

O goleiro não demonstrou culpa ou arrependimento, e declarou que não teve nada como uma punição, mas sim como um aprendizado, além de dizer que não apagaria nada de sua história, mas que já pagou caro pelo que fez.

Paguei, paguei caro, não foi fácil. Eu não apagaria nada. Isso serve pra mim de experiência, serve como aprendizado e não como punição

 

Sobre sua carreira, mostrou incerteza, sobre como irá começar de novo, mas que de qualquer forma irá fazer isso, independente de qual profissão seguirá, se continuará como jogador ou voltará do 0.

Eu quero deixar bem claro que eu vou recomeçar. Não importa se seja no futebol, não importa se seja em outra área profissional, mas como eu vou estar na área do futebol, é o que eu almejo pra mim

Bruno foi condenado a 17 anos e 6 meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado, mais 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro em cárcere privado e por fim 1 ano e 6 meses por  ter ocultado o cadáver.

O Habeas Corpus que liberou Bruno temporariamente da prisão foi concedido por conta da demora do tribunal de justiça de Minas Gerais para julgar os recursos apresentados pela defesa do goleiro, o que não ocorria desde 2013.

Ainda é possível que essa decisão seja anulada, caso a liminar de soltura seja derrubada pelo Supremo Tribunal Federal.

É o que espera a mãe de Elisa Samudio, que declarou por meio de sua advogada que se sente apreensiva com Bruno solto e que portanto espera que a liminar seja derrubada, ou seja, que o goleiro volte a cumprir sua pena prisão