Futebol

Força, velocidade e inteligência: como foi o 1º gol de Borja pelo Palmeiras

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Palmeiras borja

Crédito: Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O Palmeiras goleou a Ferroviária  por 4 a 1 neste domingo (25), no Allianz Parque, em jogo válido pela 6ª rodada do Campeonato Paulista. A partida marcou a estreia do atacante colombiano Miguel Borja com a camisa do Verdão. O jogador, contratado por R$ 33 milhões precisou de apenas 15 minutos em campo para balançar as redes pela primeira vez com a camisa alviverde.

LEIA MAIS:
Baptista elogia estreia de Borja no Palmeiras e comemora semana livre para treinos 
Borja estreia com gol e até Twitter oficial do Palmeiras vai à loucura

No lance do gol, Borja mostrou todo seu pacote de qualidade: força, para ganhar a disputa de bola com o zagueiro da Ferroviária no meio de campo, velocidade para puxar o contra-ataque e inteligência – esta em dois momentos: o primeiro na hora de fazer a tabela com Dudu, depois ao ver o posicionamento do goleiro antes de chutar para o gol.

Nessa imagem, por exemplo, é possível ver o goleiro da Ferroviária fechando o canto cruzado, onde a maioria dos atacantes chutariam a bola neste tipo de jogada. Borja, por sua vez, enganou o goleiro e bateu no contra pé do goleiro.

Foto: Reprodução/Youtube
Foto: Reprodução/Youtube

Veja o 1º gol de Borja no detalhe:

Após a partida, o técnico Eduardo Baptista não poupou elogiou ao atacante, e ainda revelou que o colombiano treinou sozinho durante a viagem que fez para o Uruguai – onde recebeu o prêmio de “Rei das Américas” – no meio da semana. “A gente não esperava contar com o Borja para esse jogo, mas a partir do momento da fatalidade com o Moisés nós começamos a pensar em utilizá-lo. Lá no Uruguai, ele treinou por conta, orientado pelo departamento físico, claro. Ele queria muito jogar, fez um treino bom na sexta-feira. É um artilheiro e mostrou isso”.

“Nos dois, três minutos ruins do Palmeiras, quando estávamos nos acertando com a saída do Thiago Santos, ele e o Dudu resolveram. Ontem, antes de eu perguntar alguma coisa, ele falou: ‘Professor, eu treinei, trabalhei, quero estar junto’. Ele fez um treinamento que nos agradou, a parte física não fez nenhuma objeção. Dentro do que foi programado, nós atingimos”, completou Baptista.