Holanda se torna segundo país europeu com dois campeões no UFC

Foro: GettyImages

A vitória de Germaine de Randamie sobre Holly Holm, na madrugada do último sábado (11/02) para domingo (12/02) no UFC 208, deu não apenas o cinturão do recém-inaugurado peso-pena feminino para a lutadora. O resultado também foi muito importante para o seu país.

Germaine de Randamie é holandesa, e o país conhecido pelos moinhos de vento tornou-se a segunda nação europeia a ter dois campeões no UFC. A Irlanda também possuí dois cinturões da organização, mas esses cinturões, diferente da Holanda, estão com apenas um lutador, Conor McGregor, que venceu José Aldo, em luta que valia o cinturão do peso-pena e ele é o atual detentor cinturão do peso-leve do Ultimate, após luta com Eddie Alvarez, no UFC 205.

LEIA MAIS:
CAMPEÃ DO UFC DESMENTE LUTA CONTRA BRASILEIRA: ‘SÓ RUMOR’
RING GIRL DO UFC TORCE PARA QUE ANDERSON SILVA CONTINUE A LUTAR

A vitória da nascida em Utrecht, aliás, interrompe um jejum de dezoito anos da Holanda sem campeões em categorias na principal competição de MMA do mundo. Antes dela, apenas Bas Rutten chegou a tal status ao vencer Kevin Randleman no UFC 20 e ficar com o cinturão do peso-pesado vago após Randy Couture sair do UFC. Rutten, porém, não fez nenhuma defesa de seu título, já que foi para uma categoria diferente – e foi substituído pelo próprio Randleman. Rutten é o único europeu no Hall da Fama da organização até hoje e é inspiração para outra lenda do esporte: Tito Ortiz.

Além de Holanda e Irlanda, Inglaterra (Michael Bisping, do peso-médio), Belarus (Andrei Arlovski, peso-pesado) e Polônia (Joanna Jedrzejczyk, do peso-palha feminino) são as nações europeias que já formaram um campeão no UFC.

A lista de países campeões porém, é amplamente dominada pelos Estados Unidos (sessenta cinturões) e pelo Brasil (treze). O Canadá é a terceira nação no ranking, com três campeões.