Automobilismo

Nascar: em prova tumultuada, Kurt Busch vence a Daytona 500

Publicado às

Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.

Crédito: Foto: Nascar/Getty Images

Kurt Busch venceu na noite deste domingo (26) a Daytona 500, prova que abriu a temporada da Monster Energy Nascar Cup Series. Em uma corrida das mais acidentadas no circuito de 2,5 milhas localizado na Florida, o piloto da Stewart-Haas soube escapar dos big ones e atacou Kyle Larson na última volta para conquistar sua primeira vitória na mais importante etapa da principal categoria do automobilismo americano.

A segunda colocação ficou com Ryan Blaney, que mesmo após se envolver em acidentes, conseguiu se recuperar e brigar pela vitória até o final. AJ Allmendinger ficou com a terceira posição, seguido por Aric Almirola. O grupo dos cinco primeiros no Daytona International Speedway foi completado por Paul Menard.

Joey Logano, que se mostrou um dos candidatos à vitória ao longo de toda a prova, terminou em sexto, logo à frente de Kasey Kahne. Michael Waltrip se despediu da Daytona 500 com a oitava posição, enquanto Matt DiBenedetto terminou em nono. O grupo dos dez primeiros ainda contou com Trevor Bayne, causador de um dos acidentes da corrida.

A prova foi das mais acidentadas, contando com dois big ones e pelo menos mais um acidente forte. Pilotos como Kyle Busch, Jimmie Johnson, Brad Keselowski, Kevin Harvick, Denny Hamlin e Danica Patrick abandonaram a corrida por conta destes acidentes.

A Nascar terá a realização de sua segunda etapa no próximo domingo (4) em Atlanta.

Confira como foi a corrida

A corrida começou com Chase Elliott mantendo a primeira colocação, seguido por Dale Earnhardt Jr., enquanto Denny Hamlin e Jamie McMurray passaram a duelar pela terceira colocação. No fim do grid, Jimmie Johnson apareceu apenas na 39ª posição entre os 40 pilotos que iniciaram a corrida.

McMurray avançou para segunda posição logo no terceiro giro, aproveitando que Dale Jr. perdeu sua fila e diversas colocações. O piloto da Ganassi assumiu a liderança da prova na sétima volta, ao superar Elliott, que logo foi ultrapassado também por Kevin Harvick e Brad Keselowski.

Ryan Blaney se destacou no início da prova ao ganhar 24 posições, enquanto Joey Logano avançou para o quinto lugar. Porém, o dono do Ford número 22 foi obrigado a visitar os boxes na 15ª passagem por conta de um pneu furado. Três giros depois, foi a vez de os pilotos da Joe Gibbs pararem em conjunto.

Harvick assumiu a liderança da prova na 26ª volta, após uma batalha com Elliott. Dois giros depois, foi a vez da Stewart-Haas mandar seus quatro pilotos aos boxes. Na sequência, a bandeira amarela foi acionada pela primeira vez por conta de um acidente de Corey LaJoie, que ficou sem freio na hora de entrar nos boxes e jogou seu carro no muro.

A prova foi retomada algumas voltas depois com Harvick mantendo a primeira colocação até o 42º giro, quando Kyle Busch assumiu a ponta. No giro seguinte, foi a vez de Martin Truex Jr. avançar para a primeira colocação. O piloto da Furniture Row, porém, perdeu a fila e despencou na classificação.

Kyle Busch retomou a liderança, mas logo passou a ser pressionado por Ryan Blaney, que assumiu a primeira colocação na 49ª volta. Duas passagens depois, David Ragan acertou o muro após balançar e tocar o carro de Ricky Stenhouse Jr..

O campeão de 2015 retomou a liderança na 52ª volta, enquanto Harvick e Blaney passaram a duelar pela segunda posição. Stenhouse Jr. foi aos boxes por conta de um pneu furado, enquanto Truex Jr. fez seu pit stop no 58º giro. Kyle Busch venceu o primeiro segmento, e foi seguido por Harvick, Blaney, Keselowski, Dale Jr., Kyle Larson, McMurray, Hamlin, Johnson e Danica Patrick.

Kyle Busch lidera pelotão em Daytona. (Foto: Nascar/Getty Images)
Kyle Busch lidera pelotão em Daytona. (Foto: Nascar/Getty Images)

Os pilotos foram aos boxes na 64ª volta e Kyle Larson, que ganhou cinco posições, trocou apenas duas posições. Harvick assumiu a segunda colocação, seguido por Kyle Busch. O grupo dos cinco primeiros ainda contou com Blaney e Dale Jr..

A relargada aconteceu na 68ª volta com Larson mantendo a liderança por duas voltas, quando foi superado por Harvick. O piloto da Stewart-Haas passou, então, a ser pressionado por Blaney e Johnson, que avançou ao terceiro lugar. A fila mais próxima ao muro passou a se destacar, e as trocas de posição diminuíram. Quem apareceu foi Michael McDowell, na quinta colocação.

Liderados por Kyle Busch, os pilotos de carros da Toyota, em especial da Joe Gibbs, veio aos boxes na volta 82. Harvick manteve a liderança até a volta 90, quando os pilotos de carros da Ford vieram para os boxes. Melhor para Jimmie Johnson, que assumiu a liderança pela primeira vez.

Dale Jr. recuperou a liderança da prova na 97ª volta, seguido por um surpreendente Elliott Sadler. Pilotos como Aric Almirola e Austin Dillon entraram nos boxes na 105ª passagem, mesmo momento em que Kyle Busch perdeu a traseira de seu carro e acertou o muro, coletando Ty Dillon, Dale Jr., Matt Kenseth, Erik Jones e Casey Mears. A bandeira vermelha foi acionada com Sadler na frente.

Kyle Busch se acidenta e provoca mais uma bandeira amarela. (Foto: Nascar/Getty Images)
Kyle Busch se acidenta e provoca mais uma bandeira amarela. (Foto: Nascar/Getty Images)

Após a volta da bandeira vermelha para a amarela, os pilotos foram aos boxes, e Harvick assumiu a liderança, seguido por Danica Patrick e Kurt Busch. Nenhum deles foi aos boxes. A relargada veio na volta 112, e Logano superou Danica para assumir a segunda colocação. No final do segundo segmento, o piloto da Penske tentou um ataque sobre Harvick, que acabou vencendo o segmento.

Depois de nova rodada de paradas nos boxes, Kyle Larson apareceu na liderança, mas perdeu a primeira posição logo após a relargada acionada na 126ª volta. O trio da Hendrick formado por Elliott, Kahne e Johnson passou a ocupar as três primeiras posições, com Kahne tomando a liderança no giro seguinte.

Trevor Bayne, que vinha tentando alcançar os líderes, tocou o carro de Johnson e provocou um big one que envolveu ainda Danica Patrick, Clint Bowyer, Chris Buescher, Denny Hamlin, Kevin Harvick e DJ Kennington. Kahne seguiu líder, seguido por Elliott, McMurray, Austin Dillon e Brad Keselowski.

A prova recomeçou quando restavam 67 voltas para o final com Elliott mantendo a liderança, enquanto McMurray e Kahne passaram a duelar pela segunda posição. Dois giros depois, Blaney e Sadler avisaram que entrariam nos boxes, mas Jeffrey Earnhardt não entendeu e acertou o piloto regular da Xfinity Series, provocando mais um acidente e nova entrada do Safety Car. Outro envolvido foi Trevor Bayne.

O recomeço da Daytona 500 aconteceu na volta 141, e Austin Dillon assumiu a liderança ao superar Kahne. No mesmo giro, porém, McMurray tocou Elliott e provocou mais um acidente envolvendo muitos pilotos. Ty Dillon, Brad Keselowski, Daniel Suárez, Casey Mears e Denny Hamlin sofreram danos em seus carros.

A nova relargada aconteceu na volta 148 com Logano assumindo a primeira colocação ao passar por Austin Dillon. No giro seguinte o Safety Car foi acionado pela oitava vez na prova após Joey Gase espremer Elliott no muro e rodar. Brendan Gaughan também se envolveu no acidente. Os líderes foram aos boxes e Aric Almirola foi o primeiro a sair depois de apenas reabastecer o carro. A liderança foi herdada por Cole Whitt, que não parou nos boxes.

A corrida recomeçou restando 47 voltas para o final com Cole Whitt e Aric Almirola sendo empurrados por Larson e Logano, respectivamente. Três giros depois o piloto da Ganassi assumiu a primeira colocação, enquanto Kurt Busch cresceu na corrida e avançou ao segundo posto. Logano recuperou terreno e travou uma longa batalha com Larson pela liderança, ganhando a posição com 33 voltas para o final da corrida.

Chase Elliott voltou a aparecer com destaque quando restavam 29 voltas para o final, e três giros depois roubou a liderança de Logano. Quem veio junto do piloto da Hendrick foi Martin Truex Jr., que logo superou o representante da Penske, que despencou na classificação alguns giros depois.

Uma única fila se formou e as posições se estabilizaram com Elliott na primeira posição, seguido por Truex Jr. e Kurt Busch. A corrida voltou a ganhar em emoção quando restavam dez voltas para o final, momento em que Paul Menard puxou uma segunda linha de carros, em manobra que lhe rendeu o sexto lugar.

Restando quatro giros para o fim, Larson partiu para o ataque e ganhou a terceira posição de Kurt Busch, Um giro depois, Elliott perdeu sua linha e despencou na classificação, vendo o piloto da Ganassi e Truex Jr. brigarem pela liderança. Na volta final, porém, Kurt Busch voltou ao ataque, superou o piloto do Ford 42 e seguiu para a vitória.