Futebol

Prass revela o que mudou no Palmeiras com a chegada de Eduardo Baptista

Publicado às

Radialista, Jornalista com passagens como correspondente pelo site italiano CalcioNews24.com e pelo Arena Rubro-Negra. Atualmente setorista do Fluminense e Futebol Sul-Americano no Torcedores.com

Prass

Crédito: Crédito da foto: Divulgação/ Cesar Greco/ Ag. Palmeiras

Durante entrevista para o site “Lance!“, o goleiro Fernando Prass revelou o que mudou na equipe do Palmeiras com a chegada do técnico Eduardo Baptista no começo de 2017.

“Tem algumas ideias diferentes em relação à parte tática, formação de equipe. O que mais usamos como exemplo é a questão da marcação. O Cuca, todo mundo sabe, tinha marcação individual. O Eduardo tem marcação por zona. São duas filosofias diferentes e a gente tem que tentar acelerar o processo. Trabalhamos com o Cuca por quase um ano com marcação individual, então é natural que o time tenha encorporado isso. Agora é assimilar e entender o mais rápido por isso essa marcação por zona”, diz.

LEIA MAIS:
PRASS FALA SOBRE SEU FUTURO, CHEGADA DOS NOVOS REFORÇOS E MUDANÇAS NO PALMEIRAS
OPINIÃO: BORJA TEM TUDO PARA BRILHAR COM A CAMISA DO PALMEIRAS
JOGADOR DO OSASUNA SOFRE FRATURA NA PERNA EM JOGO CONTRA O REAL MADRID

Fernando Prass falou sobre a desconfiança que o torcedor palmeirense teve com o treinador Eduardo Baptista, quando assumiu o comando técnico do Palmeiras em 2017.

“Muitas vezes o torcedor reclama que o clube só investe em medalhões e não dá chance para novas ideias. Nunca vai ter unanimidade, mas o que importa é o trabalho de campo. Até porque se fosse por nome, de repente Moisés, Tchê Tchê, Róger Guedes e Vitor Hugo não teriam sido destaques como foram. O nome você ganha com o tempo. O Cuca em começo de carreira não tinha o nome que tem hoje”, completou.