Futebol

Quatro lições que o Palmeiras tirou do jogo contra a Ferroviária

Publicado às

Jornalista formado pela FIAM-FAAM. Setorista do Internacional e do Fluminense no Torcedores.com. Também escreve sobre o Palmeiras no site. Contato: mohamed.nassif12@hotmail.com

Palmeiras

Crédito: Fotoo: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Na tarde do último sábado, o Palmeiras encarou a Ferroviária pelo Campeonato Paulista e goleou por 4 a 1. Foi a estreia de Miguel Borja. E Eduardo Baptista pôde fazer alguns testes na equipe.

Da partida, o Verdão tira quatro “lições”. Confira:

Leia mais: Imprensa da Colômbia destaca estreia de Borja no Palmeiras 

1- Zé Roberto no meio pode funcionar com Egídio na lateral

Um dos testes foi a entrada de Egídio na lateral esquerda. Baptista não quis abrir mão da experiência de Zé Roberto e o escalou no meio de campo, sendo um armador ao lado de Michel Bastos. Sem a obrigação de voltar para marcar, Zé rendeu bem na criação de jogadas, principalmente pelo lado esquerdo, onde está acostumado a jogar. Ao mesmo tempo, o setor na defesa não ficou desprotegido já que Egídio não comprometeu, ficando a maior parte do tempo guardando posição. É uma tática que Eduardo pode usar quando precisar de proteção para o setor esquerdo e não deixar Zé Roberto de fora.

2- William rende mais pelos lados

O atacante William Bigode, assim como Dudu, Keno e Roger Guedes, tem mais facilidade em jogar pelos lados do campo e não centralizado, ou como falso 9. E foi desta maneira que estava sendo escalado nas últimas partidas. Ontem, ele inverteu posição tanto com Keno quanto com Dudu. Apareceu pelos dois lados do campo e criou jogadas, como a do gol de Keno quando o placar estava 0 a 0. Com Borja assumindo a posição, pode brigar por posição nos lados do campo e deixar o setor ainda mais concorrido no Palmeiras.

3- Não há necessidade de jogar no sacrifício

Se um jogador está com cansaço físico, ou sem as ideias condições de jogo, não é necessária a entrada dele, em muitas das vezes. Neste sábado, Mina foi poupado. E quem disse que não teria substituto? Edu Dracena tomou conta do recado, fez uma segura partida. Thiago Santos também deu segurança no lugar de Felipe Melo, Egídio foi bem na lateral esquerda. O elenco vai se provando ser forte nestes jogos em que os titulares não podem jogar e os reservas mantém o alto nível. Não é necessário desgastar nenhum jogador.

4- Keno é titular

A partida que Keno fez contra o Corinthians foi boa. Mas diante a Ferroviária foi para garantir sua vaga no time titular, pelo menos por mais alguns jogos. Ele fez um gol, quase marcou outro e infernizou a defesa adversária, com arrancadas e dribles. Lembrou o Roger Guedes em sua chegada ao Palmeiras. Para a torcida palmeirense, é torcer para que o novo jogador mantenha as grandes atuações.