Opinião

Relato: eu, a narração esportiva e o meu sonho de ser narrador profissional

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito da foto: Reprodução/Facebook Victor Veratto

Decidi escrever para contar um pouco da minha história com a narração esportiva. Tudo começou, quando eu era criança e passava tardes e mais tardes jogando e narrando com a maior emoção. Para deixar claro, todos em MATA MATA.

Eu jogava Campeonato Paulista, Carioca, Brasileiro e até Libertadores. Eu me sentia narrando para uma multidão e o tempo passava num piscar de olhos e foi aí que comecei a gostar de narrar e passar emoção por meio do futebol.

LEIA MAIS:
IMPRENSA COLOMBIANA DESTACA ESTREIA PROMISSORA DE BORJA NO PALMEIRAS; CONFIRA
THIAGO NEVES EXPLICA ESCOLHA PELO CRUZEIRO, ELOGIA ESTRUTURA E REVELA OBJETIVOS NA CARREIRA

Quantas narrações épicas aconteceram nas finais dos meus Campeonatos de Futebol de Botão, que só eu, os botões e a multidão imaginariam presenciávamos.

Campeonato esse, que tinha modalidade inédita: o chute do meio de campo, onde era muito emocionante e afirmo com toda verdade do mundo, sempre fui imparcial, o que importava, era a emoção do lance.

O tempo passou e me tornei o Narrador oficial das peladas de rua dos meus amigos, narrava sério, com direito até a vinheta de programação.

Quando saia um gol bonito, tinha pena dos vizinhos, que tinham que aguentar os meus gritos exagerados, para expressar a beleza e emoção do gol.

E tinha até quem dissesse que eu narrava como Galvão Bueno (uma das minhas maiores referências). Hoje, tô meio enferrujado, mas, com muita admiração e encanto pela profissão.

Fiz o curso de Jovem Repórter no Centro Olímpico de Sobradinho-DF, pela Associação Assis Chateaubriand, onde participei de oficinas e visitas ao Jornal Diário dos Associados em Brasília.

Pretendo fazer faculdade de jornalismo e me tornar um narrador. Meu maior sonho profissional é transmitir uma Copa do Mundo e uma Olimpíada.

Vou ousar fazer uma lista das 10 narrações mais épicas que já ouvi:

10 – Gol 100 de Rogério Ceni narrado por José Silvério;

9 – Milagre do GuaranÍ narrado por Jorge Iggor;

8 – Primeiro gol do Ronaldo no Corínthians narrado por Luciano do Valle;

7 – Defesa do Víctor contra o Tijuana na Libertadores 2013 narrado por Osvaldo Reis;

6 – Defesa do Danillo contra o San Lorenzo narrado por Deva Pascovick;

5 – Segundo gol do Neymar no Internacional e Santos narrado por Rogério Assis;

4 – Gol do Romarinho na primeira final da Libertadores 2012 narrado por Cléber Machado;

3 – Primeira vitória de Ayrton Senna no GP Brasil narrado por Galvão Bueno;

2 – Final Olímpica do futebol 2016 narrada por Gustavo Villani;

1 – Final da Copa do Mundo de 94 narrada por Galvão Bueno;