UFC 208: Como Ronaldo Jacaré chega para sua luta? Veja a análise

Na madrugada deste sábado para domingo, o brasileiro Ronaldo “Jacaré” Souza enfrenta o americano Tim Boetsch no UFC 208, em Nova Iorque. Primeiramente, o adversário de Jacaré seria o ex-campeão do médios, Luke Rockhold. Porém uma lesão no joelho obrigou o UFC a retirar o americano da luta e, como já está há oito meses sem lutar e não queria perder mais tempo, o brasileiro aceitou o duelo contra Boetsch. Para o duelo, o número 3 do ranking do peso médio teve de mudar um pouco seu plano de luta.

Redação Torcedores
Textos publicados pela Redação do Torcedores.com.Contato: redacao@torcedores.com

Crédito: Foto: Reprodução/Instagram oficial de Ronaldo Jacaré

LEIA MAIS
Aldo diz que aceitaria revanche com McGregor na Irlanda “até se fosse agora”
Aldo sobre subida para o peso leve: “Deve acontecer a qualquer momento”

Relembre como era o mundo na última vitória de Anderson Silva
UFC 208: 4 coisas que podem acontecer se Anderson Silva vencer
Ronaldo Jacaré vê revanche com Romero como próxima luta

Porém, para tentar entender um pouco mais como o brasileiro entra no octógono neste sábado, precisamos voltar pouco mais de um ano no tempo. Em dezembro de 2015, o duelo no UFC 194 entre Jacaré e Yoel Romero daria ao campeão a oportunidade de lutar pelo cinturão dos médios. Em resultado bastante controverso, o cubano venceu por decisão dividida dos juízes. Inclusive, no segundo round, uma ação ilegal de Romero lhe deu grande vantagem no resultado final do assalto. Para não ser derrubado pelo brasileiro, o cubano segurou a grade (o que é ilegal) durante quase cinco segundos e acabou usando essa ação ilegal para contra golpear e cair por cima. Em posição dominante, Romero trabalhou bem por cima, o que fez com que dois árbitros marcassem vitória para ele no segundo round.

Yoel Romero segurando a grade por quase cinco segundo para evitar queda de Jacaré

Yoel Romero segurando a grade por quase cinco segundo para evitar queda de Jacaré

Porém como foi pego no antidoping em exame alguns dias depois da luta, o Soldado de Deus foi suspenso e, assim, o UFC acabou marcando uma revanche entre Luke Rockhold e Chris Weidman pelo cinturão. Como Weidman se lesionou a pouco tempo do segundo duelo entre os dois, o azarão Michael Bisping entrou em seu lugar e acabou chocando o mundo conquistando o título da categoria ao nocautear o então campeão Rockhold. Após chegar ao topo do peso médio, o inglês ainda defendeu seu cinturão contra o veterano Dan Henderson.

Durante esse tempo, Jacaré lutou apenas uma vez: nocauteou Vítor Belfort no primeiro round no UFC 198. A boa vitória, contudo, não foi suficiente para o brasileiro ter seu tão sonhado title-shot. Isso porque Romero conseguiu provar que caiu no doping porque fez uso de um suplemento que estava contaminado com uma substância ilegal, teve sua pena diminuída para apenas seis meses e conseguiu um nocaute impressionante sobre Chris Weidman no UFC 205. Assim, segundo Dana White, o cubano será o próximo desafiante ao cinturão dos médios.

Para ter sua tão sonhada luta pelo título, Jacaré precisa impressionar. Isso porque Weidman e Mousasi, números 4 e 5 no ranking da divisão, se enfrentam no UFC 210, em abril. Como o adversário do brasileiro é apenas o 13º, um dos dois pode furar a fila caso obtenha uma boa vitória e Jacaré não tenha atuação convincente neste final de semana.

O caminho para o brasileiro vencer essa luta é levar o confronto para o chão. A principal arma de Boetsch é sua mão direita poderosa, que o faz muito perigoso na trocação. De suas 20 vitórias no MMA, metade delas foi conquistada por nocaute. Além disso, 60% dos golpes conectados pelo americano no UFC são em pé. E o ideal para Jacaré é conseguir a queda e deixar o adversário de costas para o chão, já que Boetsch é originário do wrestling e pode ser muito perigoso em posições dominantes, devido ao seu bom ground and pound.

Multicampeão no jiu-jitsu, o brasileiro deve apostar na sua força na luta de solo. Das 23 vitórias de Jacaré no MMA, 16 foram por finalização e a maioria de seus golpes no UFC, 49%, são aplicados no chão. Assim, a estratégia de Jacaré deve ser usar sua boa esquiva, já que o brasileiro conseguiu evitar 65% dos golpes desferidos contra si, para evitar que a direita de Boetsch entre em cheio e aproveitar uma brecha no jogo do americano, que deve usar sua maior envergadura para manter a distância, para encurtar e conseguir quedar seu adversário. No chão, o jiu-jitsu afiado de Jacaré deve se encarregar de fazer o resto.