Futebol

Última final Corinthians x Palmeiras teve seis jogadores do penta em campo

Publicado às

Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.

A rivalidade Corinthians x Palmeiras é uma das maiores do país, nunca perde força, mas não protagoniza uma final de campeonato há quase 18 anos. Foi em junho de 1999, quando os rivais decidiram o Paulistão no Morumbi. Aquela decisão mostrava a força dos dois elencos: seis jogadores em campo, três de cada lado, seriam pentacampeões do mundo com a seleção brasileira em 2002, três anos depois. E o treinador do penta, Felipão, era o comandante do Palmeiras.

Da escalação que foi a campo no empate em 2 a 2 que rendeu o título paulista ao Corinthians, que havia vencido o jogo de ida por 3 a 0, os futuros campeões do mundo com a seleção eram Vampeta, Ricardinho e Edilson. No Palmeiras, o feito estaria reservado a Marcos, Roque Júnior, e o lateral Júnior.

LEIA MAIS
BRIGA COM SBT JÁ FEZ GLOBO CORTAR NOVELA PARA MOSTRAR CORINTHIANS X PALMEIRAS

Uma curiosidade interessante é que aquela final, que terminou em pancadaria após uma provocação de Edilson aos 32 minutos do segundo tempo, tirou o corintiano da seleção brasileira que disputaria e venceria a Copa América dias depois. O jogador havia sido convocado por Vanderlei Luxemburgo, mas o ato acabou custando sua vaga. O convocado para o lugar dele foi uma então jovem promessa do Grêmio, Ronaldinho Gaúcho, outro campeão com a seleção em 2002.

O ano de 1999 marcou embates históricos entre Corinthians e Palmeiras. Na Libertadores, os times caíram no mesmo grupo na primeira fase, com uma vitória para cada lado. Na estreia, o Palmeiras venceu por 1 a 0. No returno, troco corintiano por 2 a 1. Os times voltariam a se enfrentar no mata-mata, nas quartas de final.

O Palmeiras venceu o primeiro jogo por 2 a 0, e o Corinthians devolveu o mesmo placar na partida de volta. E poderia até ter liquidado no tempo normal, se o goleiro Marcos, que assumia a meta alviverde no lugar do lesionado Velloso, não tivesse feito milagres. O apelido de “São Marcos” surgia ali. O Palmeiras venceu nos pênaltis e seria campeão da Libertadores naquele ano.

A final da Libertadores aconteceu dias antes da decisão do Paulistão, o que fez com que Felipão levasse a campo um time reserva no jogo de ida. O Corinthians, que não tinha nada a ver com isso, aproveitou e venceu por 3 a 0. Na volta, os jogadores do Palmeiras entraram em campo com os cabelos pintados de verde e provocando muito os corintianos por causa da conquista do torneio continental no meio da semana. Esse foi o clima perfeito para que o jogo acabasse na confusão provocada pelas embaixadinhas de Edilson.

Desde então, Corinthians e Palmeiras se encontraram em uma semifinal histórica da Libertadores no ano seguinte, em diversos mata-matas de Paulistão, mas nunca mais fizeram uma final. Ainda em 1999, no Brasileirão, que seria conquistado pelo Timão, o Verdão venceu o rival por 4 a 1 no Morumbi.