Futebol

Análise: Repatriar Everton Ribeiro é uma boa ideia?

Publicado às

Jornalista esportista. Colaborador sênior de São Paulo FC e futebol inglês no @Torcedorescom. Fifa é melhor que PES. Até o Mauro Beting sabe disso. No Twitter e no Facebook, @oluizmartins.

Crédito: Foto: Al Ahli, divulgação.

Você contrataria Everton Ribeiro sem pensar duas vezes? Boa parte dos torcedores e jornalistas do Brasil, sim. Mas dentro dessa porcentagem existe um grupo que assinaria com o jogador por aquilo que ele jogou no Cruzeiro, três temporadas atrás, não pelo que joga hoje nos Emirados Árabes. Também existe a turma do “não quero”, que reclama até da idade do jogador. Mas e aí? Vale o investimento? O meia sinalizou que quer voltar ao Brasil e virou pauta nos principais tópicos esportivos da tevê, do rádio e da internet, na semana passada.

Everton foi vendido para o Al-Ahli por R$ 26 milhões e, se existe um fator que pode melar o interesse dos times brasileiros, é o valor pedido pelos árabes. R$ 16,6 milhões por 50% dos direitos do jogador, que quer um salário de R$ 700 mil por mês. Além disso, o empresário pede R$ 1,7 milhão para fechar o negócio. Com essas cifras, segundo informação do jornalista Jorge Nicola, do ESPN Brasil, o Palmeiras pulou fora da disputa pelo atleta.

Foto: Al Ahli, divulgação.

O site Soccer Way tem todos os números da carreira do atleta até agora, e é a partir dessa estatística que os dirigentes dos clubes interessados em repatriar Everton analisarão a viabilidade e, mais importante, a coerência de uma possível transferência.

Antes de sair do Brasil, Ribeiro foi bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro. Na temporada de 2013, jogou 2.804 minutos, 35 jogos e balançou as redes 7 vezes. Foi líder de assistências, com 11 passes para gol. No ano seguinte, jogou 2.589 minutos, 31 jogos e fez 6 gols. Um a menos, mas com a diferença de quatro jogos. Foi líder de assistências mais uma vez, também com 11 passes para gol. Em dois anos, recebeu 10 cartões amarelos.

Agora coloque na balança o nível do futebol que é praticado aqui em comparação aos Emirados Árabes. Lá, o meia jogou 2.390 minutos, 26 jogos e fez 9 gols na temporada 2015/16. Foi campeão e vice-líder de assistências (9) jogando todas as partidas do clube, como titular absoluto. Na temporada atual, tem 1.614 minutos em campo, 18 jogos em 21 rodadas, 3 gols marcados e 6 assistências. Em duas temporadas, recebeu 7 cartões amarelos e 1 vermelho.

No ano passado, o líder de assistências do Campeonato Brasileiro foi Dudu. 10, em 38 jogos. Mesmo com o abismo entre a qualidade do futebol que é praticado no Brasil e o que é jogado nos Emirados, os valores são expressivos. Não significa apenas que Everton Ribeiro pode, sim, voltar ao Brasil e se readaptar. Significa que o futebol que ele jogou em 2013 e 2014 fez falta nesses últimos anos. E além da estatística favorável existe a inteligência tática do jogador, que vem dos tempos de Coritiba e dificilmente se perdeu pelo caminho.

Everton nasceu em 89. Tem 27 anos e muita bola pra gastar, ainda. Não se sabe se vem, pra onde vai e nem por quanto volta, mas há de dar trabalho para muitos sistemas defensivos. Depois de estudar os números e ver alguns vídeos no YouTube, você contrataria Everton Ribeiro sem pensar duas vezes?