Futebol

Após expulsão, Luis Fabiano pode ser suspenso por 6 meses

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Vasco

Crédito: Crédito da foto: Paulo Fernandes/ Vasco.com.br

O atacante do Vasco da Gama, Luis Fabiano, foi citado na súmula do árbitro Luis Antonio Silva Santos, o Índio, e esta será utilizada para o julgamento do atleta no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJD-RJ). No jogo entre Vasco e Flamengo, no último domingo (26), o jogador peitou Índio e acabou expulso de campo.

De acordo com o relato do árbitro, Luis pode ser ser suspenso por até seis meses e ainda ter que pagar multa.

LEIA MAIS:
VASCO FICA PRÓXIMO DE RENOVAR COM ATACANTE ATÉ O FIM DE 2020
JORDI RECONHECE PÊNALTI MAL MARCADO, MAS VÊ VASCO PREJUDICADO POR EXPULSÃO

Luis Antonio escreveu que Luis Fabiano foi para cima dele, o afrontando.

“No susto, com sua atitude, ainda tentei dar um passo para trás, a fim de evitar contato, mas ainda assim o jogador vem para cima, tocando o seu peito no meu, me levando ao desequilíbrio. Ainda tive que usar os braços para evitar ir ao chão. Após essa atitude desrespeitosa e agressiva, apliquei cartão vermelho direto”, relatou o Índio.

O atacante vascaíno pode ser enquadrado no artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) e ser aplicado uma punição nele por agressão física e assim pode ficar 6 meses fora dos gramados.

Mas o árbitro não parou por aí, e disse que o jogador o ofendeu e isso pode acarretar em mais jogos sem ele poder atuar ou até mesmo em multa.

“Após me recompor, fui cercado por alguns jogadores do Vasco, que tentavam a todo custo que mudasse a minha decisão. O jogador expulso, continuou afrontando, colocando os dois dedos junto ao meu rosto, intimidando e dizendo: ‘Você é moleque, safado, mal intencionado'”, disse o juiz.

“O jogador do Vasco, Andrezinho, insistentemente segurava seu companheiro, tentando afastá-lo, mas ele ainda vinha por trás, pela frente, dava voltas até se afastar, e no momento da saída do campo batendo palmas ainda foi segurado pelo técnico que tentava contê-lo e acalmá-lo”, concluiu.