Automobilismo

Monisha reclama de comentários “assustadores” contra Wehrlein

Publicado às

Jornalista com passagens pelas revistas Racing e House Mag.

Crédito: Foto: Sauber

Monisha Kaltenborn criticou nesta quarta-feira (29) os ataques sofridos por Pascal Wehrlein após o alemão optar por não disputar o Grande Prêmio da Austrália de Fórmula 1, realizado no último domingo, por conta de sua condição física. A chefe da equipe Sauber classificou os comentários feitos ao novo piloto do time de Hinwil de “assustadores”.

Wehrlein precisou se recuperar de um acidente sofrido em janeiro durante a Corrida dos Campeões. Após perder a primeira bateria de testes de pré-temporada, o alemão retornou aos treinos e participou das duas atividades de sexta-feira em Melbourne. Porém, o piloto se preocupou com a parte física, que de acordo com ele, não estava 100% ainda, e pediu para não correr. A Sauber escalou Antonio Giovinazzi em seu lugar.

“Acho que é terrível a forma com que as pessoas acham que estão em condições de dizer algo sobre ele. Elas têm essa visão estranha, sem autoridade alguma para julgar alguém. Acho que é horrível como as pessoas pensam que podem julgar o assunto”, disse a dirigente da Sauber, em entrevista ao site americano Motorsport.com.

“Elas deveriam olhar a si próprias primeiro. É necessário muito para alguém tão ambicioso dizer, de forma aberta: ‘Pessoal, nessas circunstâncias, não consigo completar uma corrida inteira’. Então, deveríamos apreciar esse tipo de abertura e honestidade, o que não é algo fácil de ter neste ambiente de pressão em que os caras vivem”, completou a dirigente.

Wehrlein deve retornar ao cockpit da Sauber já no Grande Prêmio da China, que será disputado no circuito de Xangai no dia 9 de abril.

Foto: divulgação/Sauber