Torcedores – Notícias Esportivas

Em partida do Baianão, jogador acusa técnico adversário de chamá-lo de ‘macaco’

A rodada do fim de semana do Campeonato Baiano viveu uma grande polêmica no jogo entre Jacuipense e Flamengo de Guanambi. O volante Koffi, do Fla, acusa o técnico Clébson Araújo, do time adversário, de injúria racial. De acordo com o jogador, o comandante o chamou de “macaco” após um lance no meio da partida, que terminou com vitória da equipe de Riachão de Jacuipe por 2 a 1.

Márcio Donizete
Jornalista desde 2012, com passagens pelos jornais ABCD Maior e Diário do Grande ABC, além do canal NET Cidade de TV. Foi repórter colaborador, líder de colaboradores e editor no Torcedores.com. Apresenta o Lente Esportiva ABC em lives no Facebook e Youtube.

Crédito: Crédito da foto: Divulgação

“Em uma jogada deles, eu antecipei a bola e dei um chutão perto dele (do técnico). Quando eu dei o chutão, ele começou a me xingar de ‘filho da p…’, ‘vai tomar no c…’, ‘macaco’. E parece que ele está falando que o bandeira é testemunha dele, mas ele ouviu sim (as ofensas racistas). Eu cheguei no bandeira e ele me falou: ‘Pode ficar tranquilo, eu já chamei o juiz’ e quando o juiz chegou, o bandeira ‘pipocou’, ele falou que não ouviu, mas eu tenho certeza que ele ouviu”, disse Koffi ao site Gazeta Esportiva.

VEJA MAIS
ENQUETE: QUEM VENCERÁ O CAMPEONATO BAIANO 2017?

O atleta foi à delegacia e prestou queixa sobre o treinador, que nega ter xingado o camaronês, de 24 anos, que passou por clubes do Nordeste, além do Londrina. “Invejosos e frustrados, jamais teria a infelicidade de racismo com alguém, imagina com um atleta. Estou sendo acusado por um diretor da equipe do Guanambi de um ato que jamais faria. Deus sabe de todas as coisas. Infelizmente futebol está assim, pessoas frustradas. Todos que estavam ao meu redor viram o que aconteceu e como aconteceu”, se defendeu Clébson em postagem em uma rede social.

Mas Koffi reiterou que sofreu xingamentos com cunho racial. “Ele está dizendo que não falou, mas ele está mentindo. Logo que terminou o primeiro tempo ele chegou em mim para pedir desculpas”, afirmou o jogador, garantindo que o técnico o procurou no intervalo do duelo para se retratar.