DESTAQUE

Mustafá explica “caso Leila” e fala sobre Paulo Nobre

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Mustafá

Crédito: Reprodução

Ex-presidente do Palmeiras, Mustafá concedeu entrevista ao jornal Folha de S. Paulo e conversou sobre diversos assuntos, entre eles o imbróglio envolvendo a candidatura de Leila Peireira, presidente da Crefisa, e Paulo Nobre, ex-mandatário palestrino, que chegou a pedir a impugnação da candidatura da patrocinadora do clube.

“Não se trata de gostar, mas de se envolver”. Essas foram as palavras de Mustafá ao jornal quando questionado se gosta de viver a política do futebol palmeirense. O ex-presidente negou qualquer tipo de vaidade e enaltece as responsabilidades que possui no clube. Uma delas, atualmente, é justificar a candidatura da patrocinadora do Palmeiras, Leila Pereira, presidente da Crefisa.

LEIA MAIS
Mustafá sugere diminuir elenco do Palmeiras: “é um exagero”
Ponte Preta x Palmeiras: veja a provável escalação do Verdão!

Fundamentada em um título de sócia que teria sido concedido por Mustafá a Leila em 1996, a candidatura da presidente da Crefisa chegou a ser impugnada por Paulo Nobre sob a alegação de falta de documentos comprabatórios. Durante a entrevista, Mustafá comenta o episódio.

“A concessão de uma condição de sócio patrimonial remido é ato administrativo, e foi o que fiz em 1996. Por alguma razão, os documentos se extraviaram do clube, como já aconteceu com muitas outras coisas lá, até mesmo troféus, que foram parar em ferros velhos”, comenta Mustafá.

“Eu apenas atestei que em 1996 eu promovi o ato para atrair pessoas para o seio do Palmeiras. Criaram um cavalho de batalha porque era uma questão política que envolvia pessoas da gestão anterior. Foi um problema de relacionamento”, explica o ex-dirigente.

Mustafá explica, ainda, que em 1996 achava que pessoas como os donos da Crefisa, José Roberto Lamacchia e Leila Pereira, poderiam estar junto ao clube no futuro. “O Zé Roberto era sócio vitalício e não queria perder essa condição para adquirir um plano família. Por isso, concedi o título à esposa dele. Infelizmente, as pessoas do clube que estavam nesse processo já morreram. Se alguém estiver muito interessado, que vá em uma mesa branca”, disse o ex-presidente.

PAULO NOBRE

O ex-presidente Paulo Nobre foi eleito em 2013 com a ajuda política de Mustafá Contursi, que afirma sempre ter o apoiado na direção do clube. Este último ato de Nobr,e no entanto, teria gerado um mal-estar entre os ex-presidentes, fato este comentado por Contursi.

“Respeito muito o Paulo Nobre, o Palmeiras deve muito a ele, mas infelizmente ele fez uma viagem assim que deixou a presidência e disse que assim que voltasse me procuraria. Até hoje, não tive mais contato. Infelizmente, porque o tenho em grande consideração, que fez um grande esforço pessoal para a organização do clube”, comenta.

Mustafá, apesar de chateado, nega qualquer rompimento político com Paulo Nobre. “Não houve rompimento, acho que é mais uma questão de isolamento (…) O que aconteceu foi: a candidatura da Leila foi homologada, o Paulo, por meio de um infeliz parecer jurídico, revogou isso, e eu apresentei outras provas circunstanciais de que aquilo era algo corriqueiro no clube, que já tinha acontecido dezenas de vezes. A única vez em que contestaram a verdade foi neste caso”, finalizou.

Foto: Reprodução