Opinião

O dia que acompanhei a despedida de um craque do futsal

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Márcio Damião

Para todo jornalista esportivo, ter a honra de entrevistar e conhecer de perto um ídolo da modalidade é algo que não tem preço. É nesse momento que todo o esforço vale a pena e todas as dificuldades são compensadas. Nesses seis anos que posso ser considerada uma jornalista por formação, tive muitos momentos especiais na carreira, mas nenhum comparado ao vivenciar as últimas 24 horas da carreira do Vinicius Teixeira, um dos nossos eternos craques do futsal.

O “Vini” é um atleta que todo mundo ligado ao futsal quer conhecer. Foi campeão do mundo pelo Brasil em 2008 e guarda quatro títulos na Liga Nacional. Também conquistou a Espanha com sua habilidade e além dos títulos em equipe, foi eleito melhor jogador da competição por duas temporadas.  Uma pessoa de um caráter indiscutível, de uma família brilhante e que fez muita história no futsal. Vai ser o eterno capitão da Seleção Brasileira!

LEIA MAIS:
NEYMAR VISITA TREINO DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE FUTSAL
VANESSA PEREIRA SUPEROU O PRECONCEITO, LEVANTOU TÍTULOS E DOMINOU O MUNDO DO FUTSAL
CIÇO RELEMBRA MOMENTOS MARCANTES AO LADO DO AMIGO VINICIUS TEIXEIRA

Tive a oportunidade de vê-lo jogar aqui em Sertãozinho pela ADC Intelli/ Orlândia em 2012 (foto) … Sim! Ele jogou na minha cidade.Isso é uma alegria sem preço. Mas foi em 2014, quando fui premiada num evento em Canoa Quebrada (CE) que reúne os principais atletas e profissionais do futsal, ele também estava lá e recebeu uma linda homenagem. E a partir daí o respeito só aumentou!

Nos últimos anos, o Vini mostrou que sua carreira já vinha chegando ao fim. Começou estudar Direito e a se dedicar a outros planos, mas foi na última quinta-feira (23) que ele deu o adeus as quadras de futsal e eu estava lá.

O palco escolhido foi a cidade de São Sebastião do Paraíso (MG), onde Vinicius foi campeão da Liga Nacional pela equipe de Orlândia. O adversário seria também os amigos do Atlético Mineiro, que completavam 20 anos do título nessa mesma competição.

Cheguei na quarta-feira e naquela noite já pude ver esse reencontro e era arrepiante. Muitos não se viram mais depois de 1997. A noite de risadas foi impagável. Na manhã da quinta, todo mundo reunido no café da manhã e as lembranças e conversas não paravam. Depois disso, fomos sentar na pracinha onde ficava o hotel e foi ali que aguardávamos todos os craques que chegariam para o evento daquela noite. O brilho nos olhos do Vinicius era incrível. Cada amigo que chegava, era um sorriso imenso e um abraço interminável.

E aí foi a vez do tão aguardando evento e todos estavam no ginásio: sua família presente na arquibancada e em quadra o irmão Lenisio, o craque Falcão, Neto (que após a retirada de um tumor no cérebro e ainda em recuperação, fez questão de estar ali), Ciço, Tiago, Paulinho Japonês, Tatu, Rafinha Miller, Augusto, Junai, Goda, Gabriel Dias, Alê Oliveira (ESPN), entre muitos outros.

Sem dúvidas a parte mais emocionante foi ver o Neto entrar em quadra chorando e ser recepcionado com um grande abraço coletivo. Imagino tudo que passou na cabeça dele ali.

O jogo foi 9 a 9, teve golaço por cobertura do Lenisio, gol do craque Falcão, Alê Oliveira brilhando em quadra e muita emoção. No final, Vinicius foi ovacionado e erguido pelos companheiros.

Nunca tive uma oportunidade tão grande de entrevistar tantos craques num lugar só e ainda registrar uma foto com os dois irmãos mais gênios que o futsal já teve na sua história: Vinicius e Lenisio.

Acredite, se ele não vai esquecer dessa linda despedida… eu, como jornalista, nunca vou esquecer o dia que acompanhei a despedida de um craque do futsal.

 

Alguns craques da noite: Neto, Falcão, Alê Oliveira, Junai, Lenísio e Brigadeiro – Foto: Márcio Damião