Lutas

Opinião: A luta decidida por um detalhe: Tonya Evinger vs Yana Kunitskaya

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Quem viu o Invicta 20, verificou que uma luta pode ser decidida por um detalhe, no caso, Kunitskaya venceu mesmo por um detalhe: a intervenção do juiz.

Leia mais.

ALINE SILVA ESTÁ NO CANADÁ APRIMORANDO SEU WRESTLING PARA 2020

BOXE: ESQUIVA FALCÃO INTENSIFICA TREINOS EM LAS VEGAS

Sendo assim, irresignada, Evinger acionou a Comissão Atlética através de um recurso para anular a luta, teve sucesso.
A luta que ficou sem resultado (no contest), havia terminado quando a russa encaixara um armbar, mas o juizão teria atrapalhado a movimentação defensiva de Evinger.
Assim, a revanche foi marcada para o Invicta 22, luta na qual Kunitskaya finalizou a rival no segundo round, chegando a marca de 10 vitórias consecutivas.
Mas, a vitória de Evinger não foi fácil, eis que a russa, um dos maiores nomes do MMA feminino do oriente, deu um enorme trabalho, obtendo um bom controle do embate e tentando v´rias finalizações.  Mas, se o ditado “quem não faz, toma”, também se aplica ao MMA, esse seria o exemplo, eis que “Foxy” não aguentou e acabou cedendo à Evinger, que lhe aplicou um mata-leão, quando faltavam apenas 29 segundos do segundo round.

O fato é que, embora Tonya Evinger esteja “soberana” e com o título em mãos, não se pode afirmar que Kunitskaya a superou apenas pela intervenção, indevida, da arbitragem. Tanto que, na revanche, ela mostrou lutar “pau-a-pau” com sua oponente, revelando até mesmo certa superioridade.

Por obviedade, esse é meu pensamento, jamais será comprovado, pois não se pode mudar o passado, mas a luta foi decidida em um pequeno vacilo. Poderia apostar, sem medo, que Kunitskaya ainda terá um cinturão, minha dúvida é quando isso irá ocorrer.

Aurelio Mendes – @amon78