Futebol

Vexame na Vila! Há quase 24 anos, Novorizontino batia o Santos

Publicado às

Adair Dias, o Zadá, é engenheiro, fanático por esportes. Quando não está trabalhando ou cuidando das filhas, certamente está fazendo algo relacionado com eles.

Crédito: Foto: Site do Santos

Nesta quarta, Santos e Novorizontino se enfrentarão na Vila Belmiro pela última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista. Todos preveem uma vitória santista. Há 24 anos, os mesmos times se enfrentavam, o favoritismo era ainda maior, mas a história mostra que nem tudo sai como se espera. O dia em que o Tigre comeu o peixe:

Fazia frio, ventava e chovia. Tinha vindo de Minas, onde estudava, para Santos ver a família e logicamente ir ao jogo. A pernada foi longa e desistir não era uma opção. Como guarda-chuva, vento e estádio não combinam, me preparei com um belo saco de lixo preto para ir a Vila.

O jogo era pela segunda fase do paulistão de 1993. Campeonato que começara com 30 times divididos em dois grupos: Grupo A com os 16 melhores de 1992 e Grupo B com outros 12 mais dois subindo da segunda divisão. Se classificavam 6 do grupo A, mais 2 do Grupo B. Coisas que só o Campeonato Paulista pode proporcionar.

Classificado, o Santos cau no grupo da morte, junto com São Paulo, Corinthians e o próprio time de Novo Horizonte. Até o jogo que estava a disputar pela quinta rodada, vinha bem, em segundo do grupo, com 1 derrota, 1 empate e 2 vitórias, totalizando 5 pontos. Não, não tem nada errado, a vitória valia 2 pontos naquela época.

A Classificação do grupo até então era:

São Paulo 6 pts
Corinthians e Santos 5 pts
Novorizontino 0 pts.

Sim, o Tigre só havia perdido até então, inclusive para o Santos. Logo, com a vitória, o Santos iria para a última rodada com grandes chances de ir para a final, dependendo praticamente só dele. Então lá vamos nós apoiar o peixe.

 

Manchete Folha de São Paulo
Manchete Folha de São Paulo

 

 

Aquele tempo ruim parecia ser um sinal dos Deuses para ficar em casa, mas juntamente com outros aproximadamente 3 mil fanáticos estávamos lá no templo sagrado. O Santos começou numa super pressão e com menos de 15 minutos abriu com Darci de falta. Parecia que o sofrimento valeria a pena. Não demorou muito veio a primeira ducha fria, não do céu, pois já chovia muito. Empate. Mas como o Santos era superior, ainda no primeiro tempo com Cuca, sim o ex-técnico do Palmeiras, voltou a ficar na frente.

Foto site “AcervoSantisa”

 

Tudo parecia encaminhar para a concretização do favoritismo até que veio o segundo tempo. Em 10 minutos de jogo, várias chances de gol para cada lado, e numa bobeira da zaga, o Novorizontino empatou novamente.
Eis que entra em cena João Paulo Araújo e tudo começou a piorar. Para quem não se lembra ou não conhece, João Paulo era um árbitro negro, alto e forte. Um pouco gordo para os padrões atuais. E o mesmo expulsou Cilinho, ponta santista, após uma suposta simulação de pênalti. O que era pra ser 3 x 1 começou a ser o início pesadelo. Para piorar as coisas, 1 minuto depois veio a virada.

 

Nada tão ruim que não se possa piorar. A torcida começou a invadir o campo com a intenção de agredir o juiz. Dizia a lenda que foi o próprio Marcelo Teixeira em seu primeiro mandato que autorizou a abertura de um portão. Até hoje nunca confessou, pelo contrário. A polícia teve que entrar em campo para escoltar a arbitragem. O time do Novorizontino correu para o vestiário. O jogo acabou assim, antes do fim, aos 37 do segundo tempo e o Santos praticamente se despedindo do campeonato. Acho que nem o 6 x 1 para o São Paulo na rodada seguinte marcaram tanto quanto este vexame.