DESTAQUE

Visão de repórter: Os bastidores da imprensa em Brasil x Paraguai

Publicado às

Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)

Crédito: Foto: Rafael Alaby/Torcedores.com

Jamais esquecerei do dia 28 de março de 2017, data da primeira cobertura jornalística de um jogo da seleção brasileira. Tive o prazer de ser um dos quatro escolhidos pela redação do Torcedores.com para acompanhar o duelo contra o Paraguai, direto da Arena Corinthians.

Para a equipe do site, o jogo teve início na primeira semana de março quando foi solicitado o credenciamento dos quatro jornalistas. Além de mim, repórter-colaborador do site, foram credenciados o chefe de reportagem Renan Prates, o chefe de redação Lucas Tieppo e o editor Eduardo Lucizano. Felizmente a resposta da assessoria da CBF foi positiva. Todos nós adquirimos o direito de estar presente num dos eventos esportivos mais aguardados do ano.

VEJA TAMBÉM:
Acompanhar Brasil x Paraguai do lado de fora da Arena Corinthians foi único

Na véspera da partida, nós fomos à Arena Corinthians retirar as credenciais. Aproveitei a ocasião para cobrir o último treinamento da seleção antes da partida, além das concorridas entrevistas coletivas do técnico Tite e do atacante Neymar. Já senti ali um clima de Copa do Mundo. Havia cronistas esportivos de várias partes do país, além do exterior. Uma pena (mas compreensível) que o treinador da seleção brasileira tenha liberado apenas os 15 primeiros minutos do treino à imprensa. A partir daí, todos tiveram que deixar as tribunas do estádio e retornar ao centro de mídia.

Fui dormir com a expectativa de como seria a cobertura do dia seguinte. Cheguei na Arena Corinthians cerca 3h30 antes de a bola rolar. Ainda havia pouca movimentação de torcida nos arredores do local da partida. Antes de passar pela entrada da imprensa, dei uma conferida na Loja Todo Poderoso Timão, que além de produtos do time paulista comercializava itens relacionados à seleção brasileira.

Me dirigi rapidamente à sala de imprensa e esperei pelos outros colegas de Torcedores.com. Acabei gravando uma rápida entrevista com o repórter Wellington Campos, prestigiado setorista da seleção brasileira pela Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte.

O mais legal de fazer uma cobertura in loco é poder dividir o mesmo espaço com profissionais do Brasil e do resto do mundo. No dia anterior, por exemplo, sentei na mesma mesa que Galvão Bueno e Tino Marcos, dois jornalistas da Rede Globo com quem tenho profunda admiração. Próximo dali, ainda havia jornalistas do Japão, da China e do Paraguai, que diga-se de passagem, passaram por muito sofrimento ao torcerem pela seleção de seu país, massacrada pelo Brasil, de Neymar e cia.

Minutos antes de a bola rolar, subimos à tribuna de imprensa para acompanhar a partida. O setor estava completamente lotado. Muitos jornalistas, incluindo portais de internet, tiveram que assistir ao confronto de pé devido à falta de espaço. Pelo menos, a visão era boa. Pude testemunhar mais uma grande atuação da seleção brasileira, com show do nosso craque Neymar, que caminha a passos largos para conquistar a primeira Bola de Ouro da Fifa.

Após o apito final, voltamos ao centro de imprensa. Como o acesso à zona mista (local reservado pela organização para os jogadores falarem com os jornalistas) e à sala de entrevistas dos treinadores era limitado a no máximo dois profissionais por cada veículo, tive que aguardar os demais colegas por mais de um hora. Mas a espera valeu a pena. Pude ver a alegria estampada no rosto de todos.

Antes de deixar a Arena Corinthians, por volta das 2h, ainda gravamos mais um vídeo para comentar a vitória brasileira por 3 a 0 e a classificação carimbada para a Copa do Mundo de 2018 já que o Uruguai perdeu para o Peru (2 a 1). A participação especial ficou por conta de Dassler Marques, repórter do UOL Esporte. Fui dormir feliz da vida e com a sensação de dever cumprido.

Espero voltar em breve a fazer coberturas da seleção brasileira. Quem sabe em 2018 estejamos todos juntos na Rússia. O Mundial é logo ali!