Futebol

Opinião: Zagueiro Maicon se preocupou mais com provocação, do que em marcar

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: (Foto: Marcello Zambrana/Agif/Estadão Conteúdo)

O zagueiro Maicon foi um dos destaques do clássico de ontem, entre São Paulo e Corinthians, que terminou empatado por 1 a 1. Autor do gol tricolor no majestoso, o jogador festejou seu tento imitando uma galinha, provocando o adversário, com uma alusão pejorativa ao apelido do rival. Até aí tudo bem. Inclusive, os clássicos paulistas neste ano, estão bem aquecidos com provocações. Os defensores da tese de que o “futebol está muito chato”, estão fomentando a volta destas atitudes, nos grandes jogos, como era comum, principalmente nos anos 80 e 90.

De fato, isto faz parte do show. A questão é que os jogadores não podem nortear a partida em torno de uma provocação. No gol de empate do Corinthians, o atacante Jô subiu sozinho e marcou seu terceiro gol, em três clássicos. Enquanto isso, Maicon estava na direita da grande área, “marcando” ninguém.

LEIA MAIS:

São Paulo anuncia renovação de Rodrigo Caio até 2021

Não estou aqui, querendo jogar toda a responsabilidade do empate corintiano, nas costas do zagueiro. Até porque a zaga tricolor, o sistema defensivo como um todo, não vem agradando e é apontado como o principal problema do time, neste início de ano. Só que, não é menos verdade que o empenho para responder a provocação do atacante Kazim (confira abaixo), pareceu não ser o mesmo, na hora do xerife da zaga são-paulina marcar a investida do Corinthians.

Foto: Reprodução Canal Esporte Interativo

O início da “polêmica”

No sábado (25), antevéspera do clássico, o atacante turco Kazim, fez uma postagem em seu Instagram, comemorando o aniversário de seu primeiro filho. Uns dos jogadores que parabenizaram o momento foi o volante Gabriel. Ao agradecer o companheiro, o inglês naturalizado turco, aproveitou para provocar o São Paulo: “@gabriel brigado meu irmão!!! Tmj.. amanhã pra cima dos bambis!!”

Na entrevista pós jogo, Maicon, ao ser questionado sobre a comemoração, desconversou, mas não deixou de provocar Kazim: “Foi uma comemoração que veio na hora, não é provocação, não sou igual a certos babacas que ficam na internet falando gracinhas aqui e ali, nem jogar jogam. Quer dar uma de favelado”, afirmou.

Vale lembrar que os dois jogadores já estranharam no começo de 2017, no Torneio da Flórida. Na ocasião, após trocarem empurrões, ambos foram expulsos.