DESTAQUE

Baptista não vê arbitragem como decisiva e acredita em vitória justa do Palmeiras

Publicado às

Estudante de Jornalismo. Setorista no Torcedores.com do Santos e Botafogo.

Eduardo Baptista Palmeiras

Crédito: Cesar Grecco /Palmeiras/Divulgação

Com um gol aos 54 minutos do segundo tempo, o Palmeiras ganhou do Peñarol por 3 a 2 no Allianz Parque, em jogo válido pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América.

Em entrevista coletiva, o técnico Eduardo Baptista analisou como justa o triunfo do Verdão, ele acredita que equipe poderia ter matado o duelo no começo da etapa final e ainda explicou que a vitória do jeito que foi “fortalece o grupo”.

LEIA MAIS:

VEJA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO FLAMENGO NO GRUPO 4 DA LIBERTADORES

INTERNACIONAL X CORINTHIANS: ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS DO JOGO

SPORT X JOINVILLE: ASSISTA AOS MELHORES MOMENTOS DO JOGO

“Conduzimos muito a bola no primeiro tempo e era tudo que eles queriam. Afunilamos muito o jogo, procuramos o contato físico. E no segundo tempo foi só uma conversa de acelerar a bola, trabalhar em um, dois toques e fizeram bem. Poderíamos ter feito, três, quatro gols. E o segundo tempo foi assim. Tivemos paciência, inúmeras chances reais. O time uruguaio também é viril, foram entradas duas dos dois lados, mas houve respeito. A sacada foi fazer nosso jogo, independente se o Peñarol veio para pegar ou marcar individual. Este foi o sucesso do time no segundo tempo”, disse.

“Os primeiros dez minutos do segundo tempo era para já ter definido. O Palmeiras aprendeu a não desistir, tentamos até o último minuto, criamos chances, martelamos, não demos chutão, usamos a bola no chão. Poderia ter sido mais fácil, sim, mas tem este tipo de vitória que fortalece mais o grupo. Que bom que vencemos. Se fizéssemos cinco gols não seria exagero. É ter tranquilidade e equilíbrio para em outra situação dessa matar o jogo”.

A arbitragem foi um capítulo a parte nesta partida e o time do Palmeiras reclama muito da expulsão do atacante Dudu. O capitão Alviverde tentava cobrar a falta, o atleta do clube uruguaio ficou na frente da bola, o camisa 7 do Verdão recebeu amarelo pela discussão e em seguida vermelho por reclamação.

O técnico Eduardo Baptista não acredita que a arbitragem foi decisiva dentro do jogo, mas ele lamentou a ausência de Dudu na próxima rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, contra o mesmo Peñarol, só que agora no Uruguai.

“Arbitragem é difícil, mas não influenciou no resultado final. O segundo gol do Peñarol não foi falta, mas não gosto de falar muito de arbitragem, porque não acho que foi decisiva no jogo”, explicou.

“Vamos ver a súmula do Dudu. O árbitro e o adversário irritaram ele, mas é uma perda significativa. É o capitão. Espero que seja só a suspensão do próximo jogo e ele possa nos ajudar contra o Jorge Wilstermann”, completou.

Veja no vídeo abaixo o lance da expulsão de Dudu: