Futebol

Em fim de semana com São Paulo e Corinthians, vamos recordar um super Majestoso de 1987; veja

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: São Paulo e Corinthians fizeram um super majestoso em 1987. 3 a 3, fora o show.

Neste domingo (16), São Paulo e Corinthians fazem o primeiro duelo da semifinal do Paulistão, no Morumbi. O Tricolor, busca sua segunda vitória em clássicos e garantir uma boa vantagem, para o confronto de volta, em Itaquera.

Já o Timão, além de buscar sua terceira vitória em clássicos, nesta temporada, quer levar um bom resultado para decidir em casa. No confronto da primeira fase, os dois times empataram por 1 a 1, no mesmo palco do jogo deste fim de semana.

LEIA TAMBÉM:

Saiba quais países a seleção brasileira mais enfrentou em Copas do Mundo

Nada mal então, aquecer o Majestoso deste domingo, revivendo um jogaço, que completa 30 anos em 2017, que as duas equipes protagonizaram, para um público de quase 100 mil torcedores.

Após terminar o primeiro turno em penúltimo colocado, do campeonato paulista de 1987, o Corinthians, com a vinda do técnico Chico Formiga, famoso pela geração dos meninos da Vila de 1978, conseguiu uma recuperação incrível no campeonato e chegou à final contra o mesmo São Paulo, que se sagrou campeão. Antes disso, as equipes se enfrentaram em uma partida épica, que ficou na memória dos torcedores. 3 a 3, fora o show.

Assista: 

Ficha técnica:

Local: Estádio Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi).

Árbitro: Dulcídio Wanderley Boschillia.

Público: 96.352.

Gols:

São Paulo: Silas – 18′; Müller – 20’ e Edivaldo – 53’

Corinthians: Everton – 33’; Biro-Biro – 66’ e Everton – 74’.

São Paulo: Gilmar; Zé Teodoro, Adílson, Darío Pereyra e Ronaldão; Paulo Martins, Bernardo (Neto) e Silas; Müller, Lê e Edivaldo.

Técnico: Cilinho.

Corinthians: Waldir Peres; Edson Boaro, Mauro, Jatobá & Dida; Biro-Biro, Eduardo, Jorginho (Marco Antônio) & Everton; Edmar & João Paulo.

Técnico: Formiga.

 

Majestoso

O jogo entre Corinthians e São Paulo, disputado a mais de 70 anos, recebeu a alcunha de “Majestoso”, pelo célebre jornalista Tommaso Mazzoni, do jornal A Gazeta Esportiva.

Atualmente, é o maior clássico nacional, em termos de torcida, pois reúne a segunda e a terceira maiores torcidas do futebol brasileiro.