DESTAQUE

La Décima: em jogo épico, Brasil vence Argentina de virada e fatura Copa América

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito da imagem: reprodução

Emoção foi o que não faltou. O Brasil conquistou de forma invicta a Copa América de Futsal ao vencer a Argentina de virada na prorrogação, por 4 a 2, após estar perdendo por 2 a 0, na noite da última quarta-feira (12), em San Juan, na Argentina. Em 12 edições, este é o décimo título brasileiro na competição (1992, 1995, 1996, 1997, 1998, 1999, 2000, 2008 e 2011). Já a Argentina amarga o seu sexto vice-campeonato, todos perdidos para a seleção brasileira.

Este é o segundo troféu da Copa América conquistado com o técnico PC Oliveira no comando do Brasil. O treinador também levou o caneco em 2008, contra o Uruguai.

LEIA MAIS:
Visando o Clássico das Américas, Celso Marques comenta preparação da Seleção Brasileira de Futsal Clássico AMF

Caldeirão azul e branco

A equipe brasileira teve uma baixa confirmada antes do início do jogo. Neguinho, jogador do Pato Futsal, ficou de fora da decisão devido uma lesão sofrida na semifinal contra o Paraguai.

Com o ginásio lotado, a Argentina começou bem, fazendo uma marcação de linha alta, no campo de defesa brasileiro. E a pressão surtiu efeito. Logo aos dois minutos a alviceleste abriu o placar com um belo gol de cobertura de Maxi Rescia. Aos poucos o Brasil foi se acalmando e equilibrando as ações no jogo, porém os argentinos conseguiram manter a vantagem ao final da primeira etapa.

Visitante indigesto

Novamente a Argentina voltou atenta e com a intenção de liquidar a partida. Guitta, em defesa espetacular, evitou o segundo gol para desespero da torcida. Ao canto do tradicional “olé”, entoado pela animada torcida, o jogo permaneceu equilibrado, mas os argentinos criavam as oportunidades mais perigosas. Aos 10 minutos, em desarme de Leandro Lino e na sequência, após nova defesa do arqueiro brasileiro, a seleção se manteve viva na partida.

O grito de gol que estava engasgado pelos torcedores dos donos da casa saiu aos 13 minutos. Em contra-ataque, Cristian Borruto ampliou o placar. Entretanto, a alegria se transformou em ansiedade com apenas 11 segundos, após Leandro Lino, como goleiro-linha, colocar o Brasil de volta no jogo: 2 a 1.

O técnico PC Oliveira manteve a estratégia ofensiva no momento certo e a máxima “brasileiro não desiste nunca” se fez valer em pleno ginásio Aldo Cantoni. Faltando apenas 1min 25s para o fim do jogo, Tiago empatou e levou a decisão para a prorrogação.

Virada e grito de campeão

Os argentinos não esperavam o empate e visivelmente sentiram o golpe. Com extrema maturidade e lucidez o Brasil alcançou a virada com gol de Marcel e ampliou a vantagem com Arthur.

Não é a primeira vez que o time brasileiro conquista o título no país do rival e ainda contra os próprios argentinos. Em 2011, no ginásio Almirante Brown, em Buenos Aires, os hermanos também sediaram o torneio, fizeram a grande final contra o Brasil e saíram derrotados por 5 a 1.

Na disputa pelo terceiro lugar o Paraguai venceu o Uruguai de virada por 4 a 3. Veiga Neto (duas vezes), Francisco Martínez e Javier Salas fizeram os gols paraguaios. Ataides (duas vezes) e Palleiro marcaram para a celeste.