DESTAQUE

Palmeiras x Peñarol: Entenda por que o jogo foi até os 55 minutos

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito da foto: Reprodução/Fox

Na última quarta-feira (12), Palmeiras e Peñarol se enfrentaram pela Copa Libertadores da América. O jogo foi marcado pelo fato do juiz ter dado 10 minutos de acréscimos no segundo tempo. Entenda por que o duelo foi até os 55 minutos.

O fato que justifica a partida ter ido até os 55 minutos da etapa final foi a quantidade de tempo desperdiçado na segunda etapa de jogo.

LEIA MAIS:
EDUARDO BAPTISTA ELOGIA NOVO GRAMADO DO ALLIANZ: “FICAMOS ESPANTADOS. HÁ 5 DIAS ERA TERRÃO”
PALMEIRAS X PEÑAROL: ACRÉSCIMOS DA PARTIDA GERA MEMES E PIADAS NA WEB; VEJA

Após o segundo gol do Peñarol, que foi aos 30 minutos do segundo tempo e igualou o placar naquele momento, a equipe Uruguaia começou a gastar tempo sem a bola rolar. Aos 32 minutos, o atacante do Palmeiras, Willian teve uma grande chance de gol e acertou a trave. Após isso o goleiro do Peñarol caiu e alegou dores na perna esquerda e o atendimento dele durou exatamente 2 minutos e 6 segundos.

Aos 35 minutos foi lateral para o Palmeiras bater e o juiz aproveitou para autorizar a entrada de Keno no lugar do Guerra, pelo lado do Alviverde e a entrada de Ángel Rodríguez para a saída de Junior Arias. Ai também gastou tempo. Foram exatos 1 minutos e 44 segundos de bola parada.

Ainda teve mais tempo gasto praticamente na sequencia. Aos 37 minutos teve uma falta para o Verdão bater. Até o juiz organizar tudo e autorizar a cobrança, foram 49 segundos gastos com a bola parada.

Com 39 minutosdo segundo tempo teve mais 1 minuto de bola parada, com uma falta sofrida pelo Dudu. Depois aos 41 minutos mais uma falta e também substituição na equipe do Peñarol. Saiu o atacante Mauricio Affonso que ficou enrolando e gerou uma confusão na área entre os jogadores das duas equipes e entrou o zagueiro Perg. Esse episódio deu 2 minutos e 16 segundos sem bola rolar.

Ao todo, antes do juiz dar os acréscimos, que inicialmente foram de 5 minutos, o segundo tempo de jogo teve pelo menos 7 minutos e 45 segundos de bola parada, ou seja, o que o juiz havia dado para compensar já era pouco.

Após o juiz dar os 5 minutos de acréscimos o goleiro do Peñarol ficou 40 segundos para bater um impedimento, depois aos 46 minutos, o juiz marcou uma falta para o Palmeiras e o atacante Dudu foi fazer a cobrança, porém o jogador do Peñarol não deixou e ficou chutando a bola no atleta do Palmeiras. No meio disso o Dudu se revoltou, criticou o árbitro e acabou sendo expulso. Só nessa confusão foram 3 minutos e 54 segundos gastos.

O árbitro ainda deu mais 3 minutos de acréscimos. Depois também teve um lateral que demorou 30 segundos para ser batido e por último a comemoração do gol do Fabiano durou exatamente 1 minuto e 58 segundos.

Tudo isso dá o total de 7 minutos e 2 segundos de bola parada só nos acréscimos da segunda etapa.

Vale lembrar que o jogo acabou exatamente nos 55 minutos e 56 segundos, ou seja, dos 45 minutos até o fim da partida, só teve 1 minuto e 10 segundos de bola rolando.

Com toda essa quantidade de tempo gasto com faltas, situações de jogo e também catimba dá para entende por que o árbitro deixou a partida ir até os 55 minutos do segundo tempo.