Futebol Feminino

Após seis meses de trabalho, treinadora deixa o comando da Ferroviária/Fundesport

Publicado às

Colaborador do Torcedores

Crédito: Mais de seis meses depois, treinadora Michele Kanitz deixa a Ferroviária/Fundesport - Crédito: Matheus Biasiolo / Guerreiras Grenás

O ciclo da treinadora Michele Kanitz no comando da equipe principal feminina da Ferroviária/Fundesport chegou ao fim. Na manhã desta terça-feira, o grupo de jogadoras participou de uma reunião na sede da Fundesport (Fundação de Amparo ao Esporte do Município de Araraquara), na qual foram informadas que a gaúcha de 25 anos não embarcaria com a delegação para o jogo diante do Flamengo/RJ, válido pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro A1 da categoria.

O Secretário de Esportes de Araraquara, Everson Miguel Inforsato, o Dicão, confirmou que Kanitz entregou o cargo na segunda-feira, na parte da tarde.

LEIA MAIS:

VEJA A CLASSIFICAÇÃO GERAL DO BRASILEIRÃO FEMININO 2017

BRASILEIRO FEMININO A2: CONFIRA OS RESULTADOS DA PRIMEIRA RODADA

“Ela nos informou ontem [segunda-feira] que queria ir embora e colocou o cargo à disposição, mas estamos tentando para que ela fique, pois ela é muito importante para o nosso projeto, assim como as atletas. A Michele está sendo avaliada pelo seu desempenho, inclusive pela parte do futebol profissional da Ferroviária e tem um potencial enorme como treinadora. Um dos objetivos nossos é de quem esteja a frente disso sejam as mulheres”, declarou o secretário à Rádio Cultura AM de Araraquara.

Mesmo com a negativa, Dicão mantém a esperança de que ela embarque para a comandar as Guerreiras Grenás no Rio de Janeiro. “Amanhã temos um jogo muito importante diante do Flamengo, que é uma decisão e vale a nossa classificação. A Michele continua em nossos planos, inclusive a passagem dela está comprada. Mas, se ela não for, o Anderson [Oliveira, treinador da equipe sub-17], irá ocupar o posto”, comentou.

SALÁRIOS ATRASADOS

Um dos motivos que causou a saída da treinadora foram os salários atrasados. Sem receber desde janeiro deste ano, integrantes da comissão técnica foram saindo aos poucos, até que restasse apenas um preparador físico. A treinadora confirmou o episódio à reportagem do Torcedores.com.

“Desde janeiro, toda a comissão técnica (preparador de goleiro, auxiliar técnico e preparador físico) estão sem receber. Os mesmos não estavam mais trabalhando conosco há uns dois meses. O preparador físico ainda manteve as atividades por mais tempo, porém pediu o seu desligamento. Portanto, eu estava trabalhando apenas com um preparador físico, sendo este o mesmo que desenvolvia o trabalho no sub-17”.

Sem saída, Kanitz acabou recorrendo ao próprio irmão, Vinícius Kanitz, para ser o seu auxiliar em sua comissão, colocando-o como estagiário.

“Procurei a coordenação para que colocasse o meu irmão como estagiário. Ele, com toda a sua experiência como jogador de futebol no Brasil e exterior, poderia ajudar, sem remuneração, até que tudo fosse resolvido. E até o momento não foi”, contou a treinadora.

Com o projeto escasso, Michele se viu ajudando até mesmo a equipe sub-17, que também estava sem comissão por falta de pagamento. “O meu auxiliar técnico é quem estava coordenado a equipe sub-17. Nas duas últimas semanas, eu e meu irmão tivemos que ajudá-lo também”, comentou a profissional.

Irredutível quanto a volta ao comando das Guerreiras, Michele Kanitz pretende seguir treinando e lamenta ter que deixar o seu primeiro projeto como treinadora. “Sinto pelas atletas, pois o grupo me ensinou muito e as mesmas são extremamente competentes e merecem vencer sempre”, complementa.

MAL-ESTAR

A chegada do irmão de Michele Kanitz trouxe um grande mal estar dentro da Fundesport, deixando claro que nem todos foram a favor da ação feita pela treinadora. Dicão comentou sobre o episódio e confirmou a suspeita.

“A Michele trouxe o irmão dela como estagiário, mas no fundo ele estava ocupando uma posição que não é dele, que é a de auxiliar. Sugerimos que isso fosse mudado. Talvez isso tenha atrapalhado ela, até pelo fato de ser o irmão dela na função”, explanou o secretário.

Sobre o atraso dos salários, Dicão disse estar próximo de um acerto e que pretende mudar as contratações dos profissionais do futebol feminino através de concurso público. “Estamos resolvendo isso. É um problema que acabamos herdando [da gestão anterior] de não serem concursados pela prefeitura e tinha problema legal a serem resolvidos. Eles, voluntariamente, ficaram neste período ajudando a gente, mas chega uma hora que eles precisam colocar comida em casa. Já tivemos uma conversar com o Promotor de Justiça, o próprio prefeito e estamos buscando uma saída. Vamos abrir um concurso público e vamos contratar, temporariamente, profissionais, os quais fizeram parte e poderão serem incluídos”, disse.

Michele Kanitz chegou na Ferroviária no dia 31 de outubro do ano passado para comandar a equipe na Copa Libertadores da América. Aos 25 anos e sendo a primeira mulher a treinar a equipe feminina de Araraquara, parou logo na primeira fase da competição continental, na fase de grupos, com uma vitória, um empate e uma derrota.

Em 2017, as Guerreiras Grenás ocupam a vice-liderança do Grupo 1 do Paulistão Feminino e a quarta colocação do Grupo 2 do Brasileirão.

ATUALIZAÇÃO 15h59

Em seu Facebook oficial, ao futebol feminino confirmou o desligamento da treinado Michele Kanitz. Anderson Oliveira assumirá interinamente a equipe já na partida diante do Flamengo.